Algarve com ocupação acima dos 80% na Páscoa

Algarve com ocupação acima dos 80% na Páscoa

584
PARTILHE
- Pub -
Algumas unidades hoteleiras atingirão os 100% de ocupação

O Algarve estará no período de Páscoa com uma ocupação hoteleira acima dos 80%, havendo mesmo unidades hoteleiras que poderão ficar com a capacidade lotada.

“As perspectivas apontam para uma subida da procura relativamente ao ano passado na ordem dos 5% ou 6%”, estimou à Lusa o presidente da maior associação hoteleira da região, Elidérico Viegas, sublinhando que alguns hotéis atingirão 100% de ocupação, sobretudo os mais vocacionados para o mercado interno.

Os portugueses e os espanhóis são quem continua a procurar mais a região durante a Páscoa, que este ano coincide com a época média do turismo, o que significa que os preços praticados já são mais elevados, permitindo melhores resultados para as empresas, sublinhou o presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

De acordo com Elidérico Viegas, o facto de haver férias escolares nesta época permite também estadias mais prolongadas do que nos feriados em que há tolerância de ponto, como aconteceu no Carnaval.

Procura tem sido transversal a toda a região

- Pub -

O presidente da Região de Turismo, Desidério Silva, disse que a procura tem sido transversal a toda a região, embora as zonas mais atractivas para os turistas continuem a ser Albufeira, Portimão e Vilamoura.

Contudo, as zonas de Tavira e de Lagos também têm sido alvo de muita procura e, por terem menos hotéis, têm também condições mais favoráveis para uma ocupação maior, atingindo mais facilmente taxas elevadas de ocupação.

Desidério Silva estimou que o aumento na ocupação em relação à Páscoa do ano passado seja de entre 3% a 4%, podendo alguns hotéis ficarem esgotados, mas lembrou que atingir 100% de ocupação depende de vários factores, como a vocação das unidades ou a relação entre qualidade e o preço.

“As unidades hoteleiras, algumas delas, já estão com taxas de ocupação de 80% ou 90%, mas a tendência é, na maioria das vezes, as pessoas fazerem reservas de última hora, por isso é de esperar que algumas atinjam os 100%”, concluiu.