Faro no topo do aumento de custo das dormidas em hotelaria

Faro no topo do aumento de custo das dormidas em hotelaria

2623
PARTILHE
- PUB -
Concerto será interpretado pelo Cancioneiro do Grupo Folclórico de Faro e pelo Grupo Musical de Santa Maria
A Cidade Velha de Faro é um dos trunfos da oferta turística da cidade

Faro é a cidade que registou a segunda maior subida de preços de dormidas na análise do trivago Hotel Price Index, que analisa mensalmente a variação do preço médio por quarto duplo nos hotéis das principais cidades mundiais.

A capital da região egistou uma subida de preços na ordem dos 21%, passando de 62 euros para 75 euros por noite quando comparados Abril de 2016 e Abril deste ano. Já no que toca à variação mensal o preço em Faro subiu de  60 euros em Março para 75 euros este mês.

Neste ranking de preços as restantes maiores subidas situaram-se em Albufeira (5º lugar do ranking), Lagos 8º e Portimão 9º.

A superar Faro somente Fátima que surge em primeiro lugar no ranking do estudo da Trivago, um indicador preciso do mercado hoteleiro online: os valores fornecidos por mais de 250 sites de reserva e cadeias de hotéis criam o preço médio de hotel para cidades, regiões e países. O cálculo dos dados é efetuado com base nos quatro milhões de pesquisas diárias realizadas no serviço de comparação de preços da trivago.

Rogério Bacalhau destaca “resultados positivos da estratégia de reposicionamento e requalificação do destino Faro”
Rogério Bacalhau
Rogério Bacalhau com a Ria Formosa como pano de fundo, uma das melhores imagens turísticas da cidade com grande potencial ainda por aproveitar

O presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, disse ao POSTAL que vê “com satisfação a subida dos preços das dormidas no concelho plasmado no índice da Trivago”.

“Trata-se de um progresso natural do preço num destino que, em particular desde há dois anos para cá, apostou fortemente na requalificação do espaço urbano, nomeadamente da zona histórica e central da cidade, valorizando a oferta turística” refere o presidente, que destaca em simultâneo “o esforço do tecido empresarial da cidade em acompanhar as acções da autarquia no sentido de reformular a forma como Faro se apresenta a quem nos visita. Os empresários da cidade têm sabido de uma forma genérica acompanhar o reposicionamento do produto e do destino Faro, requalificando a sua oferta e ajustando-a, o que é de louvar”, refere o autarca.

“A Câmara desenvolveu, além da requalificação do espaço urbano, um conjunto de actividades e eventos que voltaram a colocar Faro no mapa dos destinos de férias e a cidade e os farenses têm sabido responder a este desafio estratégico de forma a valorizar a cidade nos mais variados aspectos. Isso nota-se na cidade, na dinâmica comercial e empresarial e, naturalmente, o esforço torna o destino mais concorrencial e mais caro, mas também melhor posicionado e mais rentável para a economia associada ao turismo”, remata o autarca.

Algarve teve no conjunto regional a segunda maior subida homóloga de preços

Numa perspetiva regional, Lisboa (16,19%), Algarve (12,16%) e Madeira (10,68%) são as zonas que registaram maior crescimento em abril e são seguidas pela região Centro (4,41%), Norte (3,75%) e Açores (1,27%). O Alentejo é a única região que viu os seus preços médios descerem (-2,44%) durante este mês.

No mesmo estudo o último lugar do pódio pertence a Lisboa, onde o custo da estadia subiu de 108€ para 129€ por noite, crescendo 19,44%. Por outro lado, Covilhã (-20,25%), Vila Nova de Gaia (-6,82%) e Guimarães (-2,82%) são, do conjunto das principais cidades do país, os destinos que apresentam quebras de preços mais significativas face a abril de 2016.

Facebook Comments

Comentários no Facebook