Faro no topo do aumento de custo das dormidas em hotelaria

Faro no topo do aumento de custo das dormidas em hotelaria

2472
PARTILHE
Concerto será interpretado pelo Cancioneiro do Grupo Folclórico de Faro e pelo Grupo Musical de Santa Maria
A Cidade Velha de Faro é um dos trunfos da oferta turística da cidade

Faro é a cidade que registou a segunda maior subida de preços de dormidas na análise do trivago Hotel Price Index, que analisa mensalmente a variação do preço médio por quarto duplo nos hotéis das principais cidades mundiais.

A capital da região egistou uma subida de preços na ordem dos 21%, passando de 62 euros para 75 euros por noite quando comparados Abril de 2016 e Abril deste ano. Já no que toca à variação mensal o preço em Faro subiu de  60 euros em Março para 75 euros este mês.

Neste ranking de preços as restantes maiores subidas situaram-se em Albufeira (5º lugar do ranking), Lagos 8º e Portimão 9º.

A superar Faro somente Fátima que surge em primeiro lugar no ranking do estudo da Trivago, um indicador preciso do mercado hoteleiro online: os valores fornecidos por mais de 250 sites de reserva e cadeias de hotéis criam o preço médio de hotel para cidades, regiões e países. O cálculo dos dados é efetuado com base nos quatro milhões de pesquisas diárias realizadas no serviço de comparação de preços da trivago.

Rogério Bacalhau destaca “resultados positivos da estratégia de reposicionamento e requalificação do destino Faro”
Rogério Bacalhau
Rogério Bacalhau com a Ria Formosa como pano de fundo, uma das melhores imagens turísticas da cidade com grande potencial ainda por aproveitar

O presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, disse ao POSTAL que vê “com satisfação a subida dos preços das dormidas no concelho plasmado no índice da Trivago”.

“Trata-se de um progresso natural do preço num destino que, em particular desde há dois anos para cá, apostou fortemente na requalificação do espaço urbano, nomeadamente da zona histórica e central da cidade, valorizando a oferta turística” refere o presidente, que destaca em simultâneo “o esforço do tecido empresarial da cidade em acompanhar as acções da autarquia no sentido de reformular a forma como Faro se apresenta a quem nos visita. Os empresários da cidade têm sabido de uma forma genérica acompanhar o reposicionamento do produto e do destino Faro, requalificando a sua oferta e ajustando-a, o que é de louvar”, refere o autarca.

“A Câmara desenvolveu, além da requalificação do espaço urbano, um conjunto de actividades e eventos que voltaram a colocar Faro no mapa dos destinos de férias e a cidade e os farenses têm sabido responder a este desafio estratégico de forma a valorizar a cidade nos mais variados aspectos. Isso nota-se na cidade, na dinâmica comercial e empresarial e, naturalmente, o esforço torna o destino mais concorrencial e mais caro, mas também melhor posicionado e mais rentável para a economia associada ao turismo”, remata o autarca.

Algarve teve no conjunto regional a segunda maior subida homóloga de preços

Numa perspetiva regional, Lisboa (16,19%), Algarve (12,16%) e Madeira (10,68%) são as zonas que registaram maior crescimento em abril e são seguidas pela região Centro (4,41%), Norte (3,75%) e Açores (1,27%). O Alentejo é a única região que viu os seus preços médios descerem (-2,44%) durante este mês.

No mesmo estudo o último lugar do pódio pertence a Lisboa, onde o custo da estadia subiu de 108€ para 129€ por noite, crescendo 19,44%. Por outro lado, Covilhã (-20,25%), Vila Nova de Gaia (-6,82%) e Guimarães (-2,82%) são, do conjunto das principais cidades do país, os destinos que apresentam quebras de preços mais significativas face a abril de 2016.

Facebook Comments

Comentários no Facebook