BE volta à carga sobre as obras na EN 125

BE volta à carga sobre as obras na EN 125

1854
PARTILHE
joa%cc%83o-vasconcelos
João Vasconcelos não deixa por mãos alheias a responsabilidade de exigir ao Governo que apoia o parlamento respostas sobre o tema

Na passada sexta-feira João Vasconcelos questionou por escrito o Governo acerca das obras de requalificação da Estrada Nacional 125, um tema que o Bloco de Esquerda (BE) não deixa cair no esquecimento e, muito em particular, o deputado eleito nas fileiras bloquistas pelo Algarve à Assembleia da República..

Ao Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, o deputado algarvio apresentou um conjunto de questões destinadas a saber se o Governo irá suspender as portagens na Via do Infante durante o período em que decorrem as obras de intervenção na EN 125 e se estas serão novamente suspensas com a aproximação do período de férias de Verão, momento em que se regista um considerável aumento de automóveis a circular na principal estrada nacional algarvia.

Deputado alerta para o permanente congestionamento da via, mesmo em época baixa
obras-na-en-125
Obras na EN 125 têm-se revelado um pesadelo para os condutores

Segundo a nota de imprensa do BE, “João Vasconcelos reforça que a introdução de portagens na Via do Infante e a consequente transferência para a EN 125 de grande parte do tráfego daquela via tem mantido a EN 125 constantemente congestionada e com extensas e morosas filas de veículos, o que tem contribuído para o agravamento das dificuldades de circulação e para o aumento dos acidentes rodoviários”.

A requalificação da EN 125 “já devia ter sido concluídas há bastante tempo, (e) tem levado uma eternidade, com obras paradas, ou a desenrolar-se muito lentamente. Ainda no ano passado, as obras foram suspensas durante o Verão devido ao intenso tráfego rodoviário”, afirma João Vasconcelos.

Por outro lado, afirma o parlamentar, as intervenções que estão em curso na EN 125 “apresentam clamorosos erros técnicos”, tais como e entre outros, a existência de separadores centrais em cimento no meio da via, falta de passeios para peões, e traços contínuos em retas extensas.

Deputado dá exemplos de erros clamorosos na definição do novo perfil da EN 125

João Vasconcelos dá como exemplo a intervenção que está a decorrer entre a localidade do Chinicato e a cidade de Lagos, em que, numa extensão de cerca de dois quilómetros, está a ser construido no centro da via um separador central em cimento que impede a existência de vias de circulação duplas no mesmo sentido e, no mesmo troço, não contempla a construção de passeios pedonais e a instalação de luminárias, situação que tem suscitado preocupação e reclamações por parte da população local.

Da exposição desta situação, Vasconcelos aproveita também para questionar o ministro Pedro Marques sobre se vai actuar e de que forma, no sentido de corrigir as intervenções planeadas para aquele troço, dotando-o das infra-estruturas reclamadas.

O deputado termina reforçando a mensagem de que os acidentes de viação só irão reduzir-se no Algarve com a eliminação das portagens na Via do Infante e com a requalificação urgente da EN 125.

Facebook Comments

Comentários no Facebook