Carlos Calado é o grande vencedor da Meia Maratona de Lagos

Carlos Calado é o grande vencedor da Meia Maratona de Lagos

267
PARTILHE
- Pub -
Carlos Calado e o grande vencedor da Meia Maratona de Lagos
Atleta manteve-se sempre na frente da corrida

A correr pela CP São Bartolomeu de Messines, Carlos Calado foi o grande vencedor da XXIX Meia Maratona Intermarché Marina de Lagos, no dia 14 de Maio.

O atleta algarvio beneficiou dos abandonos do queniano Daniel Kipchirchir Komen e do atleta do Sporting, Vasco Rafael, manteve-se sempre na frente da corrida e chegou à meta isolado.

Depois de ter conquistado dois triunfos em 1994 e 2015, Carlos Calado volta agora a vencer a Meia Maratona de Lagos, aos 47 anos, terminando a prova com o tempo de 1h16m14s.

Beatrice Cherono só terminou atrás do vencedor

No sector feminino, a queniana Beatrice Cherono, do Olímpico Clube de Lagos, foi a primeira mulher a cortar a meta, seguindo sempre no grupo perseguidor.

Marisa Costa também esteve em destaque como a melhor portuguesa, chegando em 2º lugar da classificação geral feminina.

- Pub -

Em preparação para os Paralímpicos, o atleta surdo Rui Guerreiro, a correr pela Associação Jorge Pina, terminou em 7º lugar no escalão de veteranos III.

Lagos recebeu cerca de 700 atletas para participar na XXIX Meia Maratona Intermarché Marina de Lagos, Mini Maratona Hospital São Gonçalo de Lagos e Caminhada Sopromar, organizada pelo Olímpico Clube de Lagos, com o apoio da Adega da Marina, Unique Properties, Auto Vasco da Gama, NaRua Produções, MF Cars e McDonald’s de Lagos.

Próxima edição será a maior e melhor de sempre

Para o presidente do Olímpico Clube de Lagos, André Santos, esta “foi uma excelente prova, no rescaldo de um 13 de Maio de muitas emoções fortes para os portugueses. Sentimos que a cada edição as pessoas de Lagos e do Algarve estão mais entusiasmadas com a nossa Meia Maratona, a única do país onde se corre sobre a água”.

Sobre a próxima edição, André Santos adianta que “é a 30.ª edição da Meia Maratona de Lagos, uma data simbólica e bonita. Como tal, já estamos a trabalhar no sentido de ter a maior e melhor edição de sempre! Queremos ter um grupo forte que possa atacar o recorde da prova e, claro, uma excelente moldura humana a correr nas ruas da cidade”.

(Cátia Marcelino / Henrique Dias Freire)