Centro de Arqueologia da UAlg ganha financiamento do Earthwatch Institute

Centro de Arqueologia da UAlg ganha financiamento do Earthwatch Institute

1105
PARTILHE
arqueologia da ualg
Projecto permitirá continuar os trabalhos arqueológicos no complexo mesolítico dos concheiros de Muge

O Centro Interdisciplinar em Arqueologia e Evolução do Comportamento Humano (ICArEHB) da UAlg recebeu recentemente a aprovação para um projecto de investigação que permitirá continuar os trabalhos arqueológicos no complexo mesolítico dos concheiros de Muge.

O projecto será financiado através do Eartwatch Institute, uma organização ambientalista, sem fins lucrativos, que apoia o desenvolvimento de dezenas projectos relacionados com “Vida Selvagem e Ecossistemas”, “Alterações Climáticas” e “Arqueologia e Cultura”, em mais de 40 países por todo o mundo.

Os programas Earthwatch funcionam com base no voluntariado de cidadãos não especialistas, que contribuem financeiramente para o projecto através do valor da inscrição que, por sua vez, dá acesso à participação activa no trabalho de campo.

arqueologia da ualg2
É a primeira vez que a organização Earthwatch aposta num projecto em Portugal

No caso específico do projecto de Muge os voluntários vão colaborar com uma equipa de especialistas da Universidade do Algarve na escavação e processamento dos materiais arqueológicos provenientes de um dos maiores concheiros mesolíticos na Europa. Esta é a primeira vez que a organização Earthwatch aposta num projecto em Portugal e permitirá compreender melhor um ponto fundamental na história da evolução humana na região – o aparecimento das primeiras comunidades de agricultores e o desaparecimento das últimas sociedades caçadoras-recolectoras.

O projecto é liderado pelos investigadores Nuno Bicho, Célia Gonçalves, João Cascalheira e Lino André e terá início no Verão de 2018, prolongando-se até 2020.

As inscrições já se encontram abertas em: www.earthwatch.org/Expeditions/Excavating-the-Mesolithic-Neolithic-Transition-in-Portugal

Facebook Comments

Comentários no Facebook