Isilda Gomes e Rui André garantem reposição de carro dos bombeiros de...

Isilda Gomes e Rui André garantem reposição de carro dos bombeiros de Portimão

875
PARTILHE
- Pub -
19143895_10209668379368745_7637773816088023599_o
O estado a que ficou reduzido o carro de bombeiros de Portimão no incêndio de Monchique

Os fogos florestais têm destes imprevistos e no incêndio em Monchique, do passado dia 12, uma das viaturas de reforço do corpo de bombeiros de Portimão ficou reduzida à chapa depois de consumida pelas chamas.

“Apesar de termos uma boa capacidade operacional todos os carros de combate fazem muita falta à corporação”, disse ao POSTAL o comandante dos bombeiros portimonenses, e é exactamente por isso que as Câmaras de Monchique e Portimão uniram esforços para devolver aos bombeiros da cidade do Arade a sua capacidade de resposta, adquirindo um novo veículo de combate.

19142892_10209675458585721_6767127786236579751_o
Rui André já entregou a Richard Marques, comandante dos bombeiros de Portimão um cheque de 30 mil euros para ajudar a repor a viatura

Na linha da frente do esforço financeiro estão Rui André que já entregou aos bombeiros portimonenses um cheque de 30 mil euros para o efeito e a autarca de Portimão, Isilda Gomes, que garante em nome da autarquia da cidade “disponibilizar toda a verba necessária à aquisição da viatura”.

Novo carro de bombeiros custa cerca de 145 mil euros

A nova viatura a ser comprada tem um custo de cerca de 145 mil euros, adiantou ao POSTAL a Câmara de Portimão, dos quais perto de 100 mil serão suportados pela Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Para o valor remanescente, 30 mil estão assegurados pela Câmara de Monchique e os restantes cerca de 25 mil serão pagos pelos cofres de Portimão.

Bombeiros actuam em rede na região sob o lema da solidariedade 
Richard_Marques
Corporação liderada por Richard Marques conta com apoio de duas autarquias e da protecção civil nacional para repor a viatura ardida
- Pub -

“Richard Marques, comandante dos soldados da paz portimonenses realça “a importância do contributo da Câmara de Monchique” e a “disponibilidade da Câmara de Portimão” para dotar a corporação de um meio de resposta a incêndios precioso “na corporação que mais meios de reforço a combate a incêndios disponibiliza a outras corporações de bombeiros do Algarve”.

O comandante sublinha ainda nas declarações feitas ao POSTAL que “a viatura demorará ainda algum tempo a chegar a Portimão, uma vez que, estes carros são produzidos apenas por encomenda e após o pagamento, a que se soma o tempo dos procedimentos administrativos que temos de realizar, mas que estamos a desenvolver ao melhor ritmo possível”.

O líder dos bombeiros de Portimão destaca que “no Algarve os bombeiros trabalham em rede e sem olhar a limites administrativos, desde reacção tripartida a todos os incêndios na primeira intervenção, que fica a cargo das três corporações mais próximas do fogo, até ao combate de incêndios seja onde for sempre que se justifica, num trabalho que é realizado numa verdadeira acção em rede concertada a nível regional”.

Assim e mais uma vez a solidariedade que o comandante destaca se faz sentir, desta feita depois de apagado o fogo que consumiu cerca de 10 hectares de terreno e reduziu a cinzas o carro de combate dos bombeiros de Portimão.

isilda-gomes-portimao2
Isilda Gomes assumiu desde logo os custos que forem necessários à reposição do carro de combate a incêndios destruído
Isilda Gomes sublinha o gesto de Monchique e fala de uma transversalidade regional no combate a incêndios que conhece bem

A autarca de Portimão, Isilda Gomes, diz por sua vez que a acção da Câmara de Monchique “merece a nossa gratidão e demonstra bem a forma solidária e coesa como se enfrentam os desafios do dia-a-dia no âmbito da proteção civil na Região do Algarve.”

Uma área que a antiga Governadora Civil conhece bem desde que durante antes coordenou enquanto tal as forças de protecção civil regionais.

A presidente salienta que “esta área estratégica é entendida por todos os autarcas como transversal, independentemente da divisão administrativa de cada Município, porque uma resposta eficaz e eficiente tem que funcionar de forma integrada e supramunicipal. Exemplo disso é o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais cujo apoio financeiro é assumido equitativamente por todos os Municípios, independentemente da área florestal que possuam.”