Festival de Lucía e Dias Medievais trazem novidades a Castro Marim

Festival de Lucía e Dias Medievais trazem novidades a Castro Marim

633
PARTILHE
Mariza
Mariza regressa a Castro Marim para homenagear Paco de Lucía

O município de Castro Marim aposta na inovação para a composição do programa cultural deste mês com várias novidades.

A segunda edição do Festival de Lucía arranca hoje, 18 de Agosto, com um conceito um pouco diferente da anterior. O sucesso da primeira edição mostrou à organização que “existe dimensão cultural e patrimonial no Algarve para apostar neste festival”. Além da música, o evento promove este ano outras expressões artísticas.

Tomatito abre o evento com um concerto no Revelim de Santo António, pelas 22 horas, e amanhã, 19 de Agosto, Mariza regressa ao concelho para homenagear Paco de Lucía, génio da guitarra e mestre do flamenco contemporâneo. A madrinha e embaixadora do evento apresenta o espectáculo “Mundo” no estádio de futebol, pelas 22 horas.

A Casa do Sal recebe a exposição ‘Memória de Paco de Lucía’, dedicada à vida do artista, e Carlos Saura representa a pintura e a fotografia com uma interpretação artística do festival.

Município regressa à Idade Média para cinco Dias Medievais

De 23 a 27 de Agosto, Castro Marim regressa à Idade Média para a XX edição dos Dias Medievais, com a multiplicidade de uma época simultaneamente bárbara e culta. A autarquia aposta na “inovação, qualidade e rigor financeiro do evento que afirmou Castro Marim no sector do turismo”.

O castelo é o palco principal onde acontecem as principais recriações das artes e ofícios da época e onde o público pode ver a exposição de Instrumentos de Tortura e Punição, com “réplicas muito semelhantes às peças originais”.

Destaque é o espectáculo de videomapping, que vai transformar uma das fachadas do castelo numa tela gigante. O espectáculo ‘A Luz das Trevas, D. Dinis e o Dragão de Sal’, é reproduzido nos dias 25, 26 e 27 de Agosto, pelas 23 horas.

A experiência ‘Seja Rei por um dia’ é outra novidade que permite desfrutar do banquete na Mesa Real com a grandiosidade e diferenciação da Idade Média.

(Cátia Marcelino / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook