Lagos na Rota da Escravatura

Lagos na Rota da Escravatura

1172
PARTILHE
museu escravos lagos
O edifício do Mercado de Escravos em Lagos

Em 1443 ocorreu no Algarve um dos episódios mais marcantes da sua história: o desembarque e venda como escravos em Lagos do primeiro grande carregamento de cativos africanos trazidos para a Europa na Era Moderna.

Desde esse momento, relatado pelo cronista Zurara na sua ‘Crónica da Guiné’, foi-se construindo todo um conjunto de factos e de lembranças, que fizeram de Lagos um lugar incontornável na rota da escravatura e do tráfico negreiro de um mundo progressivamente globalizado mas que se entranharam indelevelmente na memória local.

Em 2008 ocorreu em Lagos uma das mais importantes descobertas arqueológicas deste século: uma enorme lixeira formada entre os séculos XV e XVII com os resíduos urbanos da cidade dos Descobrimentos mas na qual tinham sido depositados, ao longo de sucessivas gerações, os corpos de cativos trazidos da África subsaariana e que, ao falecerem, para ali eram arrojados como coisa inútil, sendo só ocasionalmente tratados como seres humanos.

Este registo constitui o mais antigo testemunho material de um lugar de enterramento de escravos africanos em solo europeu.

Comentários no Facebook