Quarteira vai ter laboratório vivo para a descarbonização

Quarteira vai ter laboratório vivo para a descarbonização

1025
PARTILHE
quarteira ecolab
Até ao final do ano cada autarquia tem um financiamento de 80 mil euros da parte do Governo

O Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, participou na apresentação do ‘Quarteira EcoLab’, um projecto para a promoção da defesa ambiental desenvolvido pelo município de Loulé. Esta é uma das doze candidaturas de Laboratórios Vivos (Living Lab) aprovadas pelo Governo para fomentar a descarbonização.

Até ao final do ano, o trabalho passa por elaborar um projecto, havendo para tal financiamento de 80 mil euros para cada autarquia, pela parte do Governo. Alguns desses projectos são depois escolhidos para serem concretizados e cada autarquia seleccionada pode vir a beneficiar de uma verba na ordem dos 500 mil euros proveniente do Fundo Ambiental.

Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, afirma que “este projecto tem como ideia base pegar num quarteirão da cidade de Quarteira, isolá-lo para permitir a reorganização e promover a implementação de soluções tecnológicas que aumentem a eficácia e reduzam o consumo de energia, incentivem o uso da mobilidade suave/uso da bicicleta, apostem na reabilitação da rede de iluminação pública e num conjunto de medidas práticas para melhor adaptação do espaço urbano às alterações climáticas”.

Ministro acredita que “o futuro é das cidades sustentáveis e das cidades partilhadas”
quarteira ecolab1
Ministro afirma que “o apoio a projectos demonstrativos ao nível nacional vai ser uma semente de capital”

O Ministro João Matos Fernandes referiu que “as alterações climáticas fazem parte do presente e temos de alterar o nosso modo de vida. O apoio a projectos demonstrativos ao nível nacional vai ser uma semente de capital. As cidades inteligentes são muito mais que cidades tecnológicas, o futuro é das cidades sustentáveis e das cidades partilhadas. Genericamente esta iniciativa tem múltiplos objectivos, nomeadamente, fomentar a descarbonização das cidades com o aumento da eficiência e a redução do consumo de energia e estimular a cocriação de cidades inovadoras que visem a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos”.

Em Junho, as entidades que constituem o Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve), aprovaram uma moção que afirmava o empenho em cooperar e contribuir, no exercício das suas atribuições e competências, para a concretização do Programa Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC) e da Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC), nomeadamente, na implementação eficiente de medidas de mitigação e adaptação, e na promoção da sua integração nos programas e planos territoriais com incidência espacial regional e local.

O Programa Operacional CRESC Algarve 2020 e o PO SEUR tem aprovadas candidaturas dinamizadas pela AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve e pelos Municípios, com sinergias com as temáticas das Cidades Inteligentes, Mobilidade e Descarbonização, como o Observatório Municipal Ambiental de Loulé e o PARU – Plano de Regeneração Urbana de Quarteira.

(Cátia Marcelino / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook