‘Verão com Melão’: Uma visita guiada à praia da Fuzeta…

‘Verão com Melão’: Uma visita guiada à praia da Fuzeta…

2056
PARTILHE
A OPINIÃO de FILIPE LARA RAMOS Nadador-salvador coordenador no Algarve veraocommelao@gmail.com
A OPINIÃO de FILIPE LARA RAMOS
Nadador-salvador coordenador no Algarve
veraocommelao@gmail.com

A visita guiada vai continuar pelo sotavento algarvio. Desta vez vamos até a praia da ilha da Fuzeta. Localizada no concelho de Olhão, esta praia pertence à Ilha da Armona. Depois de uma curta viagem de barco deparamos com uma bela ilha ladeada pelo mar e pela ria formosa. Conhecida pela sua água quente, bom ambiente, lindos pôr-de-sol e óptima comida. A praia dispõe de vigilância, apoio de restauração, aluguer de toldos de praia e actividades desportivas. É uma praia com Bandeira azul e está inserida no programa Praia Saudável.

Para chegar a este pequeno paraíso de águas transparentes e de areia branca, o leitor terá que apanhar uma carreia, numa viagem de cinco minutos que pode desfrutar da paisagem que a Ria Formosa nos apresenta.

Logo à chegada de barco à Ilha da Fuseta, terá que fazer um ligeiro percurso a pé por uma passadeira de madeira até chegar ao mar, aí, vamos encontrar ao nosso lado direito, virados para o mar, a Barraquinha do Saldanha com uma bela localização e uma deslumbrante vista mar e ria. A Ilha da Fuseta é uma ilha sem casas mas, contudo, tem apoios de praia onde poderá comer ou beber.

Nesta concessão fomos a conversa com três nadadores-salvadores, Filipe Colucas de 20 anos, André Nunes de 24 anos e João Correia também de 20 anos.

Descrevem a praia da Ilha da Fuseta como excelente para a prática de lazer e diversão. Referem que os dias mais complicados são quando há dias de sueste. Nesses dias surge uma ondulação grande e forte surgindo agueiros móveis e perigosos em determinados sítios específicos, pelo que atenção terá que ser redobrada por todos, banhistas e nadadores-salvadores.

Naturais do concelho de Olhão, já têm entre um ano a seis anos de experiência e conhecimentos das ilhas que pertencem a este concelho.

Gostam do que fazem e muitas histórias já se passaram naquela ilha.
Cronica
Filipe Colucas, André Nunes e João Correia, nadadores-salvadores da Ilha da Fuseta

Filipe Colucas, nadador-salvador residente de Moncarapacho, com dois anos de experiência e com vários casos de ocorrências, descreve-nos que há um em que vai guardar na memória para o resto da vida. Conta-nos que “em pleno Agosto, num dia em que a bandeira encontrava-se amarela devido à ondulação e aos agueiros, após terminar a minha hora de almoço quando descia para a praia, avistei cinco pessoas a serem arrastadas por um forte agueiro. Três eram crianças entre os sete e nove anos e os outros dois eram os seus pais. Eu dei o alerta e entrei rapidamente na água, assim que cheguei perto do grupo, tentei acalma-los, pois já se encontravam em pânico. Disse-lhes pra seguirem as minhas instruções. Entretanto chegou um colega nadador-salvador e mais um surfista para me ajudar. Felizmente, conseguimos rebocar todos de uma só vez. Primeiro para fora do agueiro e só depois até a praia. O salvamento foi bem-sucedido e os pais aprenderam que na praia têm de ter mais atenção aos seus filhos e que quando os nadadores dizem que está perigoso é porque sabem do que estão a falar”.

A praia da Ilha da Fuseta, depois da alteração da localização da barra, tornou-se ligeiramente mais perigosa, criando agueiros onde antes não havia registos. Esses agueiros estão bem sinalizados para que os banhistas saibam onde se encontram.

Os nossos guardiões deixam alguns conselhos para quem frequenta esta Ilha, tais como: muita atenção à presença de agueiros em dias de Sueste; evitar nadar perpendicular à praia; não deitar o lixo para o chão; estar atentos especialmente às crianças; não se afastar das zonas vigiadas e disfrutar da qualidade que esta praia oferece.

Agora que já tem informações sobre esta praia, aconselhamos que a visite.

Artigo publicado no âmbito da parceria entre o POSTAL e Filipe Lara Ramos ‘Verão com Melão’.

Esta rubrica destina-se a sensibilizar a população e fomentar a segurança nas praias durante a época balnear de 2017.

(NOTA: Os conselhos e indicações expressos neste artigo não dispensam o seguimento pelos leitores das regras gerais de segurança nas praias e das indicações das autoridades competentes em cada zona balnear).

Facebook Comments

Comentários no Facebook