Algarve é a região do país mais procurada pelos autocaravanistas

Algarve é a região do país mais procurada pelos autocaravanistas

575
PARTILHE
- Pub -
autocaravana
Março foi até agora o mês que registou um maior pico com 90.810 dormidas

O Algarve é a região do país mais procurada pelos autocaravanistas e o potencial deste ‘turismo itinerante’ aumenta de ano para ano na região, que somou um total de 712.859 dormidas de autocaravanistas em 2016. Até Abril do ano corrente, as 26 áreas acompanhadas pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve) somam já um total de 322.585 dormidas e Março foi, até agora, o mês que registou um maior pico, com 90.810 dormidas de autocaravanistas no Algarve.

De acordo com os dados mais recentes da CCDR Algarve, a região regista mais de 40% do número de dormidas no país, somando somente os dados dos parques de campismo e caravanismo que integram a Rede de Acolhimento ao Autocaravanismo na Região do Algarve (RAARA), um projecto que envolve quatro entidades: a CCDR Algarve, a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), a Região de Turismo do Algarve (RTA) e a Associação Turismo do Algarve (ATA).

Para Desidério Silva, presidente da RTA, “o autocaravanismo é claramente um potencial na região algarvia que pode contribuir para o desenvolvimento e crescimento do Algarve, principalmente se for desenvolvido nas zonas mais interiores, potenciando também o crescimento da economia dessas zonas e dos pequenos comerciantes que aí se encontram”.

Rede de acolhimento quer crescer na região e em especial no interior

Actualmente, a RAARA é composta por 26 espaços divididos entre parques de campismo e caravanismo, parques de campismo e caravanismo rurais e áreas de serviço para autocaravanas. Alexandre Domingues, um dos responsáveis da CCDR pela RAARA, disse ao POSTAL que um dos objectivos passa por “expandir a rede para o interior da região, criando uma rota que depois também se irá ligar ao Alentejo”.

Mas o Algarve continua a não estar preparado para receber este tipo de turismo e a CCDR Algarve não tem dúvidas em afirmar que “é preciso diversificar ainda mais a oferta na região, sendo para isso necessário criar mais espaços para acolher os autocaravanistas. Já existem alguns parques de campismo e caravanismo com excelentes condições, como o Camping Turiscampo (em Lagos) ou o Parque de Campismo Ria Formosa (em Tavira), mas ainda há muitos que estão mal adaptados e precisam de tornar-se mais atraentes para os turistas”, afirma José Brito, também responsável da CCDR pelo projecto.

Ao POSTAL, o funcionário mais antigo do Parque de Campismo da Ria Formosa, garantiu que a RAARA trouxe imensas vantagens ao parque que este ano esteve esgotado no Verão, de 22 de Julho a 2 de Agosto, e já esgotou também as reservas para os meses de Janeiro, Fevereiro e Março. “A procura tem subido de ano para ano e estamos sempre com uma média de 80% de ocupação”.

Para os lados do Barlavento o entusiasmo está mais contido e no Parque de Campismo Turis-Campo, em Lagos, consideram que “os resultados vão notar-se mas a longo prazo. A RAARA é importante para diminuir o autocaravanismo clandestino e com a criação da rede sentimo-nos mais apoiados”.

Potencial económico pode fazer toda a diferença no combate à sazonalidade

Apesar da monotorização feita pela CCDR, o estudo mais recente que existe data de Julho de 2008, ‘Caracterização do Autocaravanismo na Região do Algarve e Proposta para Definição de uma Estratégia de Acolhimento’, onde se estimava que as receitas dos parques geradas exclusivamente pelos autocaravanistas atingiam 1 milhão e 88 mil euros.

No mesmo estudo foi possível apurar que a despesa média diária efectuada pelos autocaravanistas varia entre os 34,6 e os 46,7 euros e, tendo em conta que permanecem na região durante uma média de cinco/seis dias, deixam no Algarve entre 207.6 e 280.2 euros por estadia. E a CCDR garante que “isto são dados gerais e há muitos autocaravanistas que permanecem no Algarve durante vários meses”.

É um turismo que contribui para a diminuição da sazonalidade da época baixa no Algarve, começando a subir a partir do mês de Novembro e tendo o seu ponto alto entre Janeiro e Março. No Inverno, a maioria dos turistas tem em média idades iguais ou superiores a 65 anos e no Verão verifica-se um aumento de turistas mais jovens e de famílias que procuram essencialmente a praia como destino de férias.

Autocaravanistas contribuem de forma gratuita para a promoção da região

Os autocaravanistas interagem com os habitantes locais e integram a comunidade onde estão inseridos, utilizando, por exemplo, os equipamentos que estão disponíveis na sociedade, sendo que muitos deles estariam sem utilização. “Se as condições forem boas, os autocaravanistas acabam por regressar à região e trazem consigo a família ou alguns amigos”. Através de vídeos, fotografias ou impressões trocadas, estes turistas promovem os locais que visitam e trazem mais gente à região, “alguns até organizam uma espécie de excursões e vêm todos juntos com várias caravanas”.

O presidente da RTA considera que este é um contributo importante para a promoção da região. “As redes sociais e o boca-a-boca acabam por promover o Algarve e isso pode ser muito positivo para a região, mas para que assim seja é necessária uma maior fiscalização e regulação por parte das autarquias e das autoridades competentes”.