Ordem dos Médicos Veterinários alerta para falsos médicos

Ordem dos Médicos Veterinários alerta para falsos médicos

555
PARTILHE
- Pub -
animais
Prática pode colocar em sério risco a saúde dos animais

A Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) alerta para o problema crescente de falsos médicos veterinários que se fazem passar por profissionais da área mas sem qualquer habilitação para o exercício da actividade.

Esta prática constitui crime de usurpação de funções e pode colocar em sério risco a saúde do animal, bem como a saúde pública, através das chamadas zoonoses (doenças transmitidas de animais para humanos). Pode também contribuir activamente para situações de má prescrição, nomeadamente fármacos que podem ter grandes contra-indicações ou antibióticos, promovendo assim as resistências a eles associadas.

De acordo com a Ordem dos Médicos Veterinários, “esta é uma preocupação crescente de toda a comunidade médica no mundo. À Ordem têm chegado várias queixas por parte da população e de médicos veterinários que se têm deparado com esta situação”.

Criadores de animais e auxiliares da área são os principais responsáveis

A Ordem dos Médicos Veterinários revela que “os criadores de animais e alguns auxiliares da área são apontados como os que mais praticam medicina veterinária sem as devidas habilitações, ou seja, praticam a alveitaria”.

“Com estes falsos Médicos Veterinários está a ser posto em causa o respeito pela vida animal, a prossecução da sanidade animal e a defesa da saúde pública, princípios que norteiam a actividade dos verdadeiros médicos veterinários”.

Ordem dos Médicos Veterinários repudia esta situação e vai agir em conformidade

Jorge Cid, bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, afirma que “estas situações que têm sido reportadas à OMV de pessoas que se fazem passar por Médicos Veterinários sem qualquer qualificação para tal são inadmissíveis. Estão a pôr em causa a saúde dos animais assim como os seus detentores. A Ordem repudia veemente esta usurpação de funções e agirá em conformidade no sentido de impedir que estas ilegalidades se perpetuem”.

Para a prática de medicina veterinária é necessária a licenciatura ou mestrado integrado em Medicina Veterinária, estar inscrito na Ordem, possuir o respectivo número e cédula profissional. As receitas médico-veterinárias e os boletins de saúde animal (vulgo livro de vacinas) e ainda quaisquer atestados ou declarações médico-veterinárias, têm que conter a vinheta do Médico Veterinário e nunca apenas um simples carimbo. São excepção, os médicos veterinários municipais e do Ministério da Agricultura, que usam documentos oficiais para o efeito.

(Cátia Marcelino / Henrique Dias Freire)