PAN defende ‘Circos Sem Animais’

PAN defende ‘Circos Sem Animais’

1462
PARTILHE
leao
PAN considera que nenhum animal deve ser explorado pelo Homem

O PAN, Partido Pessoas-Animais-Natureza, pretende arrancar, ainda este mês, com a acção “Circos Sem Animais”.

Conforme explica o PAN em comunicado de imprensa, “esta iniciativa principia no Algarve e tem como propósito sensibilizar o executivo autárquico de cada um dos dezasseis municípios algarvios, sobre a necessidade de extinguir a prática de espectáculos circenses recorrendo a animais”. Assim, nesse sentido, na próxima segunda-feira, 11 de Setembro, este partido irá reunir-se com a Câmara de Olhão.

Desde 2009 que em Portugal não é permitido que os circos comprem, vendam ou reproduzam animais selvagens, como primatas, felinos, elefantes, ursos, camelos e cobras. No entanto, os Circos continuam a poder utilizar, nos seus espectáculos, os animais que tenham adquirido antes dessa data, o que para Susana Santos, comissária do PAN Algarve e promotora desta iniciativa, “encurta o impacto da lei, quando, pelo contrário, é necessário acelerar a mudança de mentalidades e comportamentos. Os circos detêm centenas de animais selvagens, que em vez de terem direito a viverem em liberdade e nos seus habitats naturais, são limitados a jaulas miseravelmente em pequenas e são coagidos a treinar e a actuar como artistas para entretenimento do público”.

Mas os animais selvagens não são os únicos que o PAN pretende excluir das actividades dos circos. Para este partido “nenhum animal deve ser explorado pelo Homem, seja um cão, um porco, uma cabra ou qualquer outro, porque não tem capacidade para se poder defender de abusos e maus tratos, ou simplesmente decidir quando deseja parar de treinar ou de actuar”, explica Susana Santos, que acrescenta ainda que “enquanto existirem circos com animais, haverá famílias a expor as suas crianças a estes espectáculos, transmitindo-lhes que a exploração de animais é algo aceitável”.

“Já está consagrado na lei (decreto lei 8/2017), por iniciativa do PAN, que os seres vivos estão dotados de sensibilidade e têm direito a protecção jurídica. Por outro lado, são já vários os países que proibiram que os circos com animais se apresentassem ao público, como é o caso da Holanda, Suíça, Áustria, Dinamarca, Suécia, entre outros, e já existem santuários para animais selvagens e outros, poderem viver em liberdade e com pouquíssimo contacto com o Homem”, remata este partido.

Facebook Comments

Comentários no Facebook