‘A Insustentável Leveza da Comunicação’ debate-se na UAlg a 18 de Outubro

‘A Insustentável Leveza da Comunicação’ debate-se na UAlg a 18 de Outubro

638
PARTILHE
a insustentavel leveza da comunicacao
Alguns dos temas abordados no debate constam na obra de Katerina D. Barbosa

A Escola Superior de Educação e Comunicação (ESEC) da Universidade do Algarve (UAlg) recebe na próxima quarta-feira um debate sobre ética e deontologia da comunicação. Rui Barbosa, marido da autora do livro, e Brad Cherry, um tradutor independente que conhecia bem a autora, são convidados por Paulo Alves, professor de Ética e Deontologia da UAlg, a discutir ‘A Insustentável Leveza da Comunicação’, no dia 18 de Outubro, entre as 15 e as 17 horas.

Alguns dos temas abordados no debate constam na obra de Katerina D. Barbosa, um ‘case study’ nos Jogos Olímpicos que aborda desde o momento histórico no qual o presidente do Comité Olímpico Internacional pronuncia o conhecido ‘And the Winner is’ à realização dos Jogos Olímpicos até à qual decorrem seis anos.

Obra descreve o dia-a-dia dos profissionais de comunicação dos Jogos Olímpicos

“Durante este período de seis anos, uma cidade e o respectivo país têm de organizar o maior evento desportivo do planeta, intervindo em aproximadamente 21 sectores da sua vida económica e administrativa para corresponder aos padrões exigidos pelo Comité Olímpico Internacional: construção das instalações, transportes, telecomunicações, alimentação, segurança, ambiente, imagem dos jogos e suas variadíssimas aplicações, etc. Nos bastidores da organização, trabalham vários profissionais de comunicação e é afinal deles que depende toda a informação que recebe o grande público sobre a preparação do maior espectáculo desportivo e cultural que se realiza no mundo, que chegará a quatro biliões de telespectadores no dia da abertura”, pode ler-se no resumo do livro.

As páginas da obra ‘A Insustentável Leveza da Comunicação’ descrevem o dia-a-dia dos profissionais de comunicação, “uma das maiores indústrias dos nossos tempos. Trata-se de um cenário ficcional baseado em factos reais”.

Comentários no Facebook