Loulé questiona história recente de Portugal em novo ciclo de programação

Loulé questiona história recente de Portugal em novo ciclo de programação

484
PARTILHE
Mini Museu Historia Portugal
Espectáculo conta histórias dos anónimos que também fizeram a História, mesmo que não tenha ficado o registo

No dia 27 de Outubro, pelas 21.30 horas, o Algarve recebe a estreia absoluta do espectáculo ‘Um mini-museu vivo de memórias do Portugal recente’, no Cine-Teatro Louletano. A peça da companhia lisboeta Teatro do Vestido, baseia-se na questão: e se a História recente da sociedade portuguesa fosse relida teatralmente à luz das memórias pessoais (dos anónimos) e dos pequenos objectos?

“Um Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas” que aborda, a partir das memórias das pessoas, a ditadura de 1926-1974, a revolução de 25 de Abril de 1974 e o processo revolucionário de 1974-76. O Teatro do Vestido apresenta em Loulé este ‘Mini-museu vivo de memórias do Portugal recente’, numa abordagem a muitos dos temas da história recente de Portugal que nem sempre se encontram nos livros do ensino secundário ou que não o são abordados do ponto de vista das memórias pessoais e dos pequenos objectos.

Espectáculo conta a versão dos anónimos que marcaram a História

Ao contrário das versões gloriosas sobre a história, contadas pelos grandes protagonistas militares e políticos, este espectáculo conta histórias dos anónimos que fizeram, também eles, essa história, mesmo que não tenha ficado o seu registo. “42 anos depois do 25 de Abril, já são os filhos de Abril que transmitem as memórias que ouviram contar a outros para quem este passado é já um país distante. E, no entanto, como mostra o espectáculo, este passado faz muito daquilo que é o nosso presente. Não o conhecer, não saber como chegámos até aqui, é como faltar-nos um mapa para o futuro” refere um dos responsáveis.

O texto, direcção e interpretação são de Joana Craveiro, com colaboração criativa de Rosinda Costa e Tânia Guerreiro, desenho de luz de João Cachulo e produção de Cláudia Teixeira, numa co-produção do Teatro do Vestido e do Centro Cultural de Belém / Fábrica das Artes.

Cine-Teatro Louletano inicia ‘Estórias silenciosas’, novo ciclo temático de programação de longa duração

Com este espectáculo, o Cine-Teatro Louletano enceta assim um novo ciclo temático de programação de longa duração, ‘Estórias silenciosas’, que “consiste na apresentação de propostas performativas interdisciplinares, nas áreas do teatro e performance, que operam uma releitura contemporânea e questionadora sobre a História e a Sociedade (portuguesas e estrangeiras), mas que também interpelam criticamente o público, explorando temas como a identidade, a permanência/mudança, a memória, o tempo, o esquecimento, com uma atenção especial perante a realidade actual em registos diversos que cruzam a História, a Sociologia e as Artes do Palco”, refere a organização.

O espectáculo tem a duração aproximada de 90 minutos e dirige-se a maiores de 12 anos, com um custo associado por pessoa de cinco euros, e lotação limitada. No final, o espectáculo inclui uma conversa / debate com o público. Os ingressos podem ser adquiridos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (de terça a sexta-feira, das 13 às 18 horas) ou pelo e-mail cinereservas@cm-loule.pt. Podem ainda consultar a página de facebook (www.facebook.com/cineteatrolouletano) ou o website (http://cineteatro.cm-loule.pt), ambos em permanente actualização.

(Cátia Marcelino / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook