Loulé recebe XIX Encontro de Música Antiga de Loulé ‘Francisco Rosado’

Loulé recebe XIX Encontro de Música Antiga de Loulé ‘Francisco Rosado’

1428
PARTILHE
Concerto na Matriz em Loule
Concerto Ibérico Orquestra Barroca abriu a 19ª edição do evento

Já começou o XIX Encontro de Música Antiga de Loulé ‘Francisco Rosado’ e até dia 22 de Outubro o evento vai percorrer vários espaços eclesiásticos e culturais do concelho de Loulé.

Ao longo das semanas do evento, e além dos participantes nacionais, vão também passar por Loulé prestigiadas formações e solistas de Espanha, Itália e Bélgica, para proporcionar ao público uma viagem musical desde a Idade Média até finais do século XVIII. A selecção rigorosa de grupos especializados na interpretação historicamente informada é uma das apostas do programa.

Esta 19ª edição arrancou no passado sábado, 30 de Setembro, na Igreja Matriz de Loulé, com um agrupamento português especializado na música orquestral do período barroco. O público teve oportunidade de ouvir dois dos concertos brandeburgueses de J.S. Bach, pelo Concerto Ibérico Orquestra Barroca.

Próximo concerto acontece em Boliqueime, a 7 de Outubro

A Igreja de S. Sebastião, em Boliqueime, recebe no próximo sábado, 7 de Outubro, o grupo italiano Collegium Pro Musica que lembra os 250 anos da morte de G.P. Telemann, a 25 de Junho de 2017. O Encontro de Música Antiga de Loulé assinala esta importante data com uma homenagem trazida por este agrupamento que vai interpretar um programa integralmente dedicado ao compositor.

- Pub -

A beleza e a arte da palavra são os protagonistas do concerto com o grupo espanhol Alternative History que, a 14 de Outubro, na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, em Querença, trará um programa diversificado de canções novas e antigas, ao estilo do século XVII, cuja inspiração principal são as palavras de Shakespeare: ‘Amores passados – inspiração em Shakespeare’.

Última digressão do Flanders Recorder Quartet passa por Loulé
Flanders Recorder Quartet
Digressão ‘The Final Chapter’ é a última digressão do quarteto de flautas belga

O quarteto de flautas belga Flanders Recorder Quartet volta a Loulé nesta edição com um trabalho de 30 anos a chegar ao fim: ‘The Final Chapter’. A última digressão do quarteto passa por Loulé, num concerto agendado para 15 de Outubro, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Quarteira.

A 21 de Outubro, na emblemática Igreja de S. Lourenço, em Almancil, o grupo Affetti D’Amore faz uma interpretação integralmente portuguesa do melhor da música vocal do século XVI, acompanhada pela viola da gamba, alaúde e teorba.

Portugal está também representado no cravo, por Mafalda Nejmeddine, que actua a 22 de Outubro na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, em Alte, num concerto inteiramente dedicado à música portuguesa do século XVIII.

A encerrar o encontro deste ano, a 28 de Outubro, na Igreja de S. Sebastião, em Salir, está o Ensemble de Flautas de Loulé / Conservatório de Música, desta vez acompanhado pelo Consort de Flautas do Bonfim, num programa diversificado de música nova e antiga para agrupamentos de flautas.

Todos os concertos são de entrada livre e começam às 21.30 horas

Além da componente cultural, a componente pedagógica também faz parte destes encontros e por isso foram organizadas duas palestras: uma sobre o violino barroco, por Lorenzo Collito, que decorreu no passado sábado, e outra sobre o cravo, instrumento de grande impacto na música antiga, com a participação de Mafalda Nejmeddine, a 22 de Outubro, na sala polivalente do Museu Municipal de Loulé, das 15 às 17 horas.

No dia 15 de Outubro, entre as 14 e as 17 horas, há ainda uma masterclass de flauta de bisel dirigida por todos os membros do Flanders Recorder Quartet.

O Encontro de Música Antiga de Loulé realiza-se desde 1999 e é uma iniciativa impulsionada pelo professor Francisco Rosado, que pretende reforçar a diversidade da oferta cultural do concelho, tendo em conta os vários públicos, não só portugueses mas também estrangeiros residentes ou de férias, com várias idades e níveis de formação, promovendo também a descentralização geográfica dos locais de realização dos eventos.

(Cátia Marcelino / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook