Colégio Internacional de Vilamoura leva meditação para a sala de aula

Colégio Internacional de Vilamoura leva meditação para a sala de aula

1072
PARTILHE
- Pub -
colegio internacional de vilamoura
Projecto abrange todas as crianças do jardim de infância, primeiro e segundos ciclos da instituição

O Colégio Internacional de Vilamoura iniciou um projecto de meditação, que pretende, em articulação com outras iniciativas estruturantes do Projecto Educativo, nomeadamente a Filosofia para Crianças e Jovens, a Resolução de Problemas e o storytelling, contribuir para um crescimento pleno dos seus estudantes.

“As crianças e jovens lidam diariamente com a velocidade vertiginosa do dia-a-dia. A escola não pode ficar à margem do estilo de vida que domina a sociedade contemporânea, devendo, por isso, encontrar estratégias harmoniosas que conjuguem as necessidades de formação dos jovens do século XXI, e o imperativo de constituir a escola como um espaço de tranquilidade, paz, empatia, de valorização do “eu” e dos outros”, reitera a direcção pedagógica do CIV.

Trata-se de um projecto que abrange, nesta fase, todas as crianças do jardim de infância, primeiro e segundos ciclos e que tem como horizonte de expectativas envolver todos os ciclos de estudo. A formação de professores, educadores e assistentes de sala foi o primeiro passo na implementação deste projecto.

“A capacidade de nos concentrarmos está em grande medida relacionada com a aptidão para percepcionarmos os pensamentos desencaminhadores que vão surgindo, ao mesmo tempo que aplicamos a determinação de não lhes reagirmos. Isto desenvolve a consciência e reforça a concentração”, palavras de Tomás de Mello Breyner, autor do projecto O Pequeno Buda, que o projecto de meditação do CIV tem por base.

Meditação leva a uma melhor gestão intelectual e emocional

A prática de meditação promove a aceitação das sensações que o corpo recebe, levando o aluno a uma compreensão progressiva dos mecanismos que as despoleta, o que reduz os níveis de stress e sentimentos negativos. Ao actuar sobre áreas do corpo em constante turbulência, esta “ginástica cerebral” leva a uma melhor gestão intelectual e emocional e a um consequente aumento da satisfação pessoal, produtividade, aproveitamento/desempenho cognitivo.

Assim, ao estreitar laços consigo mesmo e com o outro, esta prática permite ao aluno gerir as suas emoções de forma mais equilibrada, estimulando no mesmo a compaixão, a auto-estima e a confiança.