São Brás reflecte contributos científicos e tecnológicos na valorização da floresta

São Brás reflecte contributos científicos e tecnológicos na valorização da floresta

297
PARTILHE
A guerra do fogo Algarve
Evento é organizado pelo Centro Ciência Viva do Algarve e pelo Centro Ciência Viva de Tavira

O Museu do Traje de São Brás de Alportel recebe esta tarde, 25 de Novembro, entre as 16 e as 18.30 horas, o evento ‘A Guerra do Fogo: A Ciência ao Serviço da Floresta’, uma iniciativa urgente e actual, aberta à participação de todos, que visa contribuir para uma reflexão alargada sobre os contributos da ciência e da tecnologia para a valorização da floresta e para a prevenção dos incêndios florestais.

O programa inclui quatro apresentações seguidas de um momento de reflexão e debate colaborativo no formato ‘World Café’, que pretende contribuir para o desenvolvimento de ideias e soluções inovadoras com base na ciência, através da participação dos cidadãos. A ‘Guerra do Fogo’ é uma expressão inspirada no filme homónimo, de Jean-Jacques Annaud, de 1981.

Evento enquadra-se num programa de debates e actividades dinamizados a nível nacional pelos Centros Ciência Viva

“Portugal continental é um território de grande densidade florestal, sendo os incêndios florestais um dos riscos mais prementes para a integridade territorial e a segurança dos cidadãos. Só nos primeiros dez meses de 2017 arderam 418 mil hectares de florestas, o que corresponde a 4,5% do território nacional, com grave perda de vidas humanas. O conhecimento científico tem respostas contra estes incêndios, podendo garantir ao mesmo tempo o reequilíbrio da floresta e a sua sustentabilidade”, refere a organização.

O evento é organizado pelo Centro Ciência Viva do Algarve e pelo Centro Ciência Viva de Tavira e está enquadrado num programa de debates e actividades dinamizados a nível nacional pelos Centros Ciência Viva durante a Semana da Ciência e Tecnologia, no âmbito da iniciativa promovida pela Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica e pela Unidade de Missão para a Valorização do Interior.