Autarquia de Vila do Bispo transforma celeiros em espaço público cultural

Autarquia de Vila do Bispo transforma celeiros em espaço público cultural

676
PARTILHE
O Celeiro da Historia
Auto de consignação da empreitada foi assinado a 20 de Janeiro

Adelino Soares, presidente da Câmara de Vila do Bispo, assinou no passado sábado, 20 de Janeiro, o auto de consignação da empreitada designada por Reabilitação do edifício dos antigos Celeiros em Vila do Bispo – Equipamento Público de Acção Cultural EPAC ‘O Celeiro da História’, cujo valor total é de 1.406.517,23 euros.

O Celeiro da Historia
Equipamento Público de Acção Cultural EPAC ‘O Celeiro da História’ será a designação do espaço

O objectivo é reabilitar e ampliar o edifício dos antigos celeiros da EPAC tornando-o num espaço novo, que será designado Equipamento Público de Acção Cultural EPAC ‘O Celeiro da História’. Preservando a arquitectura pré-existente, o novo espaço vai incluir um auditório com 50 lugares, uma área de recepção/loja, uma cafetaria, zonas técnicas e reservas museológicas.

O Celeiro da Historia
‘O Celeiro da História’ vai albergar narrativa expositiva/interpretativa acerca da herança colectiva do concelho

De acordo com a autarquia, “este novo espaço servirá para albergar narrativa expositiva / interpretativa acerca da herança colectiva do concelho de Vila do Bispo, desde a sua fundação geológica aos mais remotos vestígios culturais de presença humana identificados pela arqueologia, passando pela história e pelas suas personagens, pela arqueologia subaquática dos naufrágios e das batalhas navais, pela riqueza e singularidade da biodiversidade local e, claro, pela memória etnográfica destas nossas gentes da terra e do mar”.

Autarquia apresentou uma candidatura para co-financiamento do equipamento cultural ao Programa Operacional Regional do Algarve
O Celeiro da Historia
Novo espaço vai incluir ainda um auditório com 50 lugares, uma área de recepção/loja, uma cafetaria, zonas técnicas e reservas museológicas

Para garantir os meios financeiros necessários para executar a empreitada, a autarquia apresentou uma candidatura para co-financiamento do equipamento cultural ao Programa Operacional Regional do Algarve, para um investimento total de 1.225.092,89 euros, que já foi aprovada e aguarda pela dotação financeira, garantindo por esta via, uma comparticipação financeira de 70%, o que corresponde a 857.565,02 euros.

Comentários no Facebook