Carlos Fiolhais fala sobre Einstein no Centro Ciência Viva de Lagos

Carlos Fiolhais fala sobre Einstein no Centro Ciência Viva de Lagos

614
PARTILHE
carlos fiolhais
Carlos Fiolhais foi recentemente galardoado com o Grande Prémio Ciência Viva 2017

O Centro Ciência Viva de Lagos retoma as conversas das “6as com Ciência” já no próximo dia 19 de Janeiro, pelas 20.30 horas.

Na primeira acção deste ano, o Centro convidou o físico recentemente galardoado com o Grande Prémio Ciência Viva 2017, Carlos Fiolhais, figura singular no panorama científico português, que vai falar sobre Einstein e do Prémio Nobel da Física de 2017.

Assim, Carlos Fiolhais apresentará a história das ondas gravitacionais, ao longo do século que demorou até haver a sua confirmação, descreverá o observatório LIGO e os trabalhos dos três físicos laureados (Rainer Weiss, Barry Barish e Kip Thorne) e terminará com as descobertas mais recentes nesta área, designadamente a descoberta anunciada no final de 2017 de uma estrela de neutrões que emite tanto luz como ondas gravitacionais e uma antevisão do que pode vir a ser este ramo emergente da astrofísica. Este foi considerado o acontecimento científico do ano pela “Science”.

cartaz einstein e o nobel da física
Até Junho, o Centro Ciência Viva de Lagos contará com conhecidos palestrantes

Einstein previu, em 1916, um ano após ter finalizado a sua teoria da relatividade geral, que existiam ondas gravitacionais, deformações do espaço e do tempo que se propagam à velocidade da luz a partir do movimento de uma grande massa. Essas ondas foram detectadas em Setembro de 2015 e anunciadas publicamente em Fevereiro de 2016. Apesar da descoberta estar prevista há muito tempo, trata-se de um dos maiores eventos científicos deste século, pelo que não admira que o Prémio Nobel da Física de 2017 tenha sido atribuído a três cientistas americanos que contribuíram decisivamente para essa descoberta, através da concepção e desenvolvimento do observatório LIGO, situado em instalações gémeas nos estados de Washington e Louisiana. Foram eles Rainer Weiss, físico experimental que recebeu metade do prémio, Barry Barish, outro físico experimental que recebeu um quarto do prémio, e Kip Thorne, físico teórico que recebeu outro quarto do prémio e que é conhecido do grande público pela sua colaboração no filme “Interstellar”. A grande equipa montada e dirigida por eles conseguiu, pela primeira vez, detectar ondas gravitacionais, concluindo que elas foram emitidas num choque monumental de dois grandes buracos negros a mais de mil milhões anos-luz de distância da Terra.

Recorde-se que as conversas “6as com Ciência” têm lugar às sextas-feiras e voltam a ser um espaço de contacto e debate onde a Ciência será fundamental, mas não a única área do saber.

Até Junho, o CCVL contará com vários palestrantes, do internacionalmente premiado realizador de cinema de animação e arquiteto, Pedro Serrazina, ao ex-jornalista e professor universitário António Granado, à arqueóloga Sónia Gabriel (9 de Março) que virá explicar quais as Histórias que os Ossos nos contam ou mesmo o historiador Rui Loureiro (27 Abril), desvendando um pouco de quem foi e o que fez Fernão de Magalhães na sua viagem de circum-navegação ou mesmo Delminda Moura (23 de Fevereiro), geóloga da Universidade do Algarve, que virá apresentar a riqueza geológica e patrimonial da Ponta da Piedade.

Facebook Comments

Comentários no Facebook