Mais de sete toneladas e meia de ostras apreendidas em Olhão

Mais de sete toneladas e meia de ostras apreendidas em Olhão

1081
PARTILHE
apreensão ostras
Ostras poderiam colocar em causa a saúde pública

A Unidade de Controlo Costeiro, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Olhão, apreendeu no passado sábado, 13 de Janeiro, em Olhão, 7.700 quilos de ostras, cujo valor de mercado pode ultrapassar os 30 mil euros.

No decorrer de uma acção de patrulhamento na zona do porto de pesca, as autoridades detectaram um veículo pesado que se preparava para efectuar o transporte dos moluscos para fora do território nacional, sem documentação que comprovasse a rastreabilidade da carga.

A mercadoria ao ser introduzida no consumo, sem estarem garantidas as condições higiossanitárias, poderia colocar em causa a saúde pública, tendo sido por isso apreendida.

Duas pessoas com 51 e 58 anos foram constituídas arguidas e, por as ostras ainda se encontrarem vivas, foram devolvidas ao habitat natural.

  • Pedro Gois

    É com grande surpresa e apreensão que leio esta notícia pelo seguinte:
    1) Como se pode ver, as ostras estão em sacos de produção e não de comercialização, isto quer dizer que as ostras não iriam directamente para consumo humano, mas sim para uma zona de transposição (ZT, outro viveiro, que pode ser em qualquer parte da Europa).
    2) Trata-se de um exportação entre produtores de ostras.
    Qualquer das formas, nestes casos é sempre necessário, um certificado de exportação (TRACE) junto DGAV (Ministério da Agricultura e Pescas)

  • Miguel Ferreira

    Esta apreensão é uma farsa, as ostras tinham certificados e tinham todos os papéis em dia, a GNR fez uma detenção sem saber, e após chamar a ASAE não pode voltar atrás.. Chama se excesso de zelo dos agentes que fazem tudo para ganhar promoções.
    As ostras estavam vivas!!!??? Claro! Pois se iam para exportação e foram apanhadas horas antes.
    E foram devolvidas?
    Se calhar a quem as apanhou.