Tribunal decreta internamento compulsivo de agressor de agentes da PSP

Tribunal decreta internamento compulsivo de agressor de agentes da PSP

597
PARTILHE
Agressor vai ser internado compulsivamente numa unidade hospitalar psiquiátrica para avaliação

O homem que na terça-feira agrediu três agentes da PSP com um martelo e uma enxada, em Olhão, vai ser internado compulsivamente numa unidade hospitalar psiquiátrica para avaliação, por ordem judicial, disse à Agência Lusa fonte policial.

“O detido foi presente a tribunal e foi-lhe decretada uma ordem de internamento compulsivo na unidade psiquiátrica do hospital de Faro, onde será avaliado”, disse o comissário Hugo Marado, das relações públicas do comando distrital de Faro da PSP, referindo-se à medida de coacção aplicada após o homem ser submetido hoje a primeiro interrogatório judicial.

Questionado sobre se o detido, de 45 anos, tem problemas psiquiátricos, a mesma fonte respondeu que “isso será agora determinado na avaliação a efectuar” durante o internamento na ala psiquiátrica do hospital de Faro.

Os três agentes foram chamados cerca das 18 horas de terça-feira a uma oficina de reparação de automóveis em Olhão, devido a queixas sobre “um indivíduo que estava completamente alterado”, disse previamente à Lusa fonte do comando nacional da PSP.

“O indivíduo estava muito agitado e agressivo. Quando os agentes chegaram num carro patrulha, o homem entrou na oficina e despiu-se, sujou-se com óleo e depois agrediu os agentes, antes de ser detido”, explicou.

Os três agentes da PSP de Faro foram hospitalizados devido às agressões com um martelo e uma enxada, mas tiveram alta, adiantou, frisando que o detido “nem conseguiu identificar a morada” após a detenção.

Um dos agentes sofreu escoriações, outro teve de levar “alguns pontos” na cabeça e o terceiro sofreu uma fractura num dedo da mão e uma lesão no ombro, precisou a fonte do comando nacional.

O agressor, que também foi assistido no hospital de Faro, foi presente a tribunal hoje de manhã e viu ser-lhe decretado o internamento compulsivo como medida de coacção.

Facebook Comments

Comentários no Facebook