Assinado protocolo ‘Ria Solidária’ em Olhão

Assinado protocolo ‘Ria Solidária’ em Olhão

623
PARTILHE
2018-040-assinatura-protocolo-ria-solidaria- (2 of 4)
Protocolo foi assinado pelas Câmaras de Olhão e Faro, pelo INEM e pela Autoridade Marítima

O presidente da Câmara de Olhão, António Miguel Pina, assinou esta manhã o protocolo “Ria Solidária”.

No acordo, a autarquia compromete-se a financiar com sete mil euros anuais o bom funcionamento do barco-ambulância com o mesmo nome, que serve as populações das ilhas-barreira da Ria Formosa.

O protocolo, assinado igualmente pelo autarca farense, Rogério Bacalhau, pelo director-geral da Autoridade Marítima Nacional, Sousa Pereira, e pelo presidente do INEM, Luís Alves Meira, define que as quatro entidades envolvidas contribuem para a “sustentabilidade, manutenção e operacionalidade” do barco-ambulância, encontrando-se ao serviço dos habitantes das ilhas da Fuseta, Armona e Culatra. O “Ria Solidária” faz cerca de 180 evacuações anuais, transportando para terra doentes e pessoas com mobilidade reduzida.

2018-040-assinatura-protocolo-ria-solidaria- (3 of 4)
Assinatura do protocolo ‘Ria Solidária’ decorreu na Estação Salva-Vidas de Olhão

Durante a cerimónia de assinatura do protocolo “Ria Solidária”, que decorreu na Estação Salva-Vidas de Olhão, António Miguel Pina referiu a importância de este meio de socorro funcionar de forma eficaz, o que é possível com esta ajuda dos municípios de Olhão e Faro e do INEM, no total de 21 mil euros anuais, mas não deixou de alertar para a necessidade de as ilhas-barreira estarem mais protegidas a nível de apoio de cuidados de saúde e segurança. “A Ilha da Armona, por exemplo, acolhe cerca de cinco mil pessoas no Verão. Temos tido a sorte de não terem ali acontecido situações graves, mas realço que não tem sido suficientemente cuidada a assistência às ilhas-barreira”, disse António Miguel Pina, reclamando mais apoio para residentes e visitantes destas ilhas situadas ao largo de Olhão e Faro.

Comentários no Facebook