Ana Aranha e Carlos Ademar à conversa na Biblioteca Municipal de Tavira

Ana Aranha e Carlos Ademar à conversa na Biblioteca Municipal de Tavira

589
PARTILHE

 

A obra é uma homenagem às vítimas da polícia do Estado Novo (Foto D.R.)
A obra é uma homenagem às vítimas da polícia da PIDE (Foto D.R.)

A Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, no âmbito do projecto “Encontro com autores, recebe na próxima sexta-feira, dia 13 de Abril, às 18 horas, Ana Aranha e Carlos Ademar. A conversa será sobre o livro “No Limite da Dor”.

O livro em questão, baseado no programa homónimo da Antena 1, é um tributo à coragem de todos os lutadores, humilhados e torturados, cujo corpo e alma foram reduzidos à sua expressão mais primária, vítimas da barbárie das polícias de Salazar.

A obra contém testemunhos inéditos de ex-presidiários políticos, como Fernando Rosas, Edmundo Pedro, Conceição Matos, Helena Pato, Joaquim Monteiro Matias, José Pedro Soares, Justino Pinto de Andrade ou Luís Moita.

- Pub -

Quarenta e quatro anos após o 25 de Abril, os antigos presos políticos falam da sua passagem pelos estabelecimentos prisionais do Estado Novo. Num exercício muitas vezes doloroso, resgatam um passado violento do fundo das suas memórias que se traduz em testemunhos intensos, amargurados ou tranquilos, ressentidos ou indultados.

Este encontro surge no âmbito do projecto "Encontro com Autores" (Foto D.R.)
Este encontro surge no âmbito do projecto “Encontro com Autores” (Foto D.R.)

Ana Aranha, natural de Torres Vedras e licenciada em Ciências da Comunicação, ingressou na Antena 1 em 1986. Foi na estação de rádio que realizou inúmeros programas, dois quais se destacam: “Portugal na I Guerra”, “A Guerra Civil de Espanha”, “O Centenário da República”, “Histórias Clandestinas”, “No Limite da Dor” e “A Vida dos Sons”, este último com Iolanda Ferreira.

No ano de 2011 foi galardoada com o Prémio Pró-Autor da SPA. Já em 2017, o programa “Calar, Nunca!”recebeu o Prémio de Jornalismo Direitos Humanos & Integração na categoria de rádio, atribuído pela Comissão Nacional da UNESCO e pela Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros.

Ana Aranha é ainda responsável pelo ciclo de tertúlias “Vidas Prisionáveis”, organizado pelo Museu do Aljube – Liberdade e Resistência.

Carlos Ademar, licenciado em História e mestre em História Contemporânea pela Universidade Nova de Lisboa, nasceu em Vinhais. É professor na Escola de Polícia Judiciária, colaborou na formação de órgãos de investigação dos PALOP e é um dos fundadores da Revista de Investigação Criminal.

É também autor da biografia “Vítor Alves: O Homem, o Militar, o Político” e dos romances “O Caso da Rua Direita”, “O Homem da Carbonária”, “Estranha Forma de Vida”, “Memórias de Um Assassino Romântico”, “Primavera Adiada”, “O Bairro”, “O Chalet das Cotovias” e “Na Vertigem da Traição”.

(Maria Simiris / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook