‘Conferência Internacional sobre Gestão Cultural’ no 10º Aniversário da AGECAL

‘Conferência Internacional sobre Gestão Cultural’ no 10º Aniversário da AGECAL

703
PARTILHE
A OPINIÃO de JORGE QUEIROZ Sociólogo e membro da Direção da AGECAL jorge.queiroz1@gmail.com
A OPINIÃO de JORGE QUEIROZ
Sociólogo e membro da Direção da AGECAL
jorge.queiroz1@gmail.com

A AGECAL vai organizar em Tavira, a 4 e 5 de Maio de 2018, uma Conferência Internacional sobre a Gestão Cultural, coincidindo com o seu 10º aniversário.

Foi a 17 de Abril de 2008 que, em Tavira, 18 profissionais da cultura do Algarve, provenientes de Faro, São Brás de Alportel, Lagos, Tavira e Vila Real de Santo António decidiram dar início a um trabalho conjunto que completa agora uma década… A decisão de criar a associação resultou da identificação da necessidade de qualificar o desenvolvimento regional, integrando nele a dimensão cultural quase ausente do discurso sobre a região e ajudar à reflexão e formação socioprofissional.

O diagnóstico de “Faro 2005 – Capital Nacional da Cultura” pusera em evidência fragilidades da região, carenciada de pensamento estratégico, de planeamento, de infraestruturas funcionando em complementaridade, também se constatou a escassez de estruturas profissionais e sobretudo de oferta de formação universitária e socioprofissional.

A Gestão Cultural é a gestão de recursos culturais realizada de forma científica, planeada, estruturada, originando programas territoriais em benefício das comunidades. Na óptica de serviço público deverá promover a formação de quadros imprescindível ao bom resultado dos projectos e à democratização da cultura

As experiências e uso de novas infraestruturas detectara que os cursos em ciências sociais e humanas não originavam por si competências para a gestão cultural. Se por um lado, possibilitavam importantes conhecimentos teóricos e disciplinares, contudo, não forneciam a imprescindível visão interdisciplinar das ciências da cultura nem a dimensão prática da gestão de infraestruturas e projectos. Esta realidade abriu terreno ao autodidatismo, improviso e fenómenos de instrumentalização, reduzindo dimensões espirituais, simbólicas e de conhecimento.

Aos profissionais desta área, como de qualquer outro domínio do conhecimento, exige-se sólida formação técnico-científica e experiência prática enquadrada por anos de aprendizagem.

A proposta de 2009 à Universidade do Algarve para a realização de Cursos de Pós-Graduação e Mestrado em Gestão Cultural foi aceite e obteve bons resultados, com 38 alunos inscritos, parte deles concluíram o grau de mestre nos anos seguintes.

cigc_final2
Conferência conta com a participação de especialistas de renome (Foto: DR)

O 1º Seminário realizado pela AGECAL em 2008 foi realizado na UAlg sob o tema “Que desenvolvimento cultural para o Algarve?”. Seguiram-se seminários sobre “concepção e gestão de infraestruturas culturais”, “serviços educativos em espaços culturais”, cursos de jornalismo cultural em Loulé e Tavira, o “Barro Cal“ em 2017, uma festa-feira de gestão cultural aplicada em meio rural que foi acompanhada do seminário “O campo como recurso cultural”.

A AGECAL correspondeu a inúmeros convites de associações congéneres de outros países e entidades públicas regionais e manteve presença regular na imprensa regional com mais de 80 artigos publicados por profissionais de cultura.

Entre 2008 e 2018 ocorreram transformações no País e no plano internacional, nomeadamente o acentuar da virtualização dos meios, a redução dos apoios públicos às actividades culturais, desemprego no sector, precarização do trabalho e emigrações. O campo cultural foi fortemente atingido, com o Ministério da Cultura substituído por uma secretaria de Estado e o orçamento do setor tal como hoje continua bem longe da meta de 1%,  num País com mais de oito séculos de existência, com a quinta língua mais falada do planeta e uma cultura riquíssima.

Nesta Conferência Internacional, a AGECAL irá promover análises sobre a evolução e perspectivas para o sector cultural, com a presença de especialistas nacionais e personalidades de outros países com larga experiência na gestão de recursos culturais, também com a possibilidade de assistirmos a painéis onde se abordará a actualidade de Portugal, Espanha, Brasil e Marrocos, debates sobre a investigação universitária do fenómeno cultural e a formação de profissionais para a cultura.

A cultura é central para o desenvolvimento humano, a forma como é entendida e apoiada é barómetro do nível educativo e saúde dos sistemas políticos democráticos.

A DIRECÇÂO DA AGECAL
– Associação de Gestores Culturais do Algarve

(Artigo publicado no Caderno Cultura.Sul de Abril)

Facebook Comments

Comentários no Facebook