Loulé é pré-finalista das 7 Maravilhas à Mesa®

Loulé é pré-finalista das 7 Maravilhas à Mesa®

740
PARTILHE

A candidatura de Loulé às 7 Maravilhas à Mesa® é uma das 49 pré-finalistas da edição deste ano de uma iniciativa que tem por objectivo promover as regiões e o mundo rural através da gastronomia e dos vinhos, fomentando o turismo e as experiências no território.

“Loulé tradição e criatividade à mesa” apresenta uma candidatura que reúne três pratos tradicionais, um vinho e medronho produzidos no concelho, um café histórico e ainda um projecto da autarquia na área do turismo.

Do “menu” desta candidatura as propostas gastronómicas são as papas de milho com berbigão, a cataplana de polvo com batata-doce (cataplana que resultada do trabalho artesanal da Oficina do Caldeireiro) e a galinha cerejada de Loulé. Estas iguarias cruzam saberes ancestrais e sabores, da terra e do mar, da serra e do barrocal, que se traduzem em experiências únicas para deleite de todos os visitantes.

No panorama dos vinhos algarvios, “Loulé começa também a dar cartas graças à Quinta da Tôr, local emblemático e repleto de charme em pleno barrocal algarvio, abençoado por um microclima”, explica a autarquia louletana em comunicado de imprensa. Esta produção vinícola com cinco castas de tinto e três de branco integra igualmente “a candidatura louletana às 7 Maravilhas à Mesa®. Tal como o medronho”. No interior da Serra do Caldeirão, onde o medronho é colhido à mão, das inúmeras destilarias, destaca-se “o medronho da destilaria tradicional da empresa Medronho J.R biológico, onde os deliciosos frutos são fermentados, pela caldeira em cobre e aquecida a lenha, utilizando técnicas com mais de 40 anos”.

- Pub -

Café Calcinha é um dos ex-libris do concelho

Adquirido pela autarquia e recentemente renovado, é no centro da cidade de Loulé que se localiza o emblemático e histórico Café Calcinha, aberto em 1929, e que integra a “Rota dos Cafés de Portugal com História”. Ao longo das décadas, e no decurso da sua história, muitos foram os nomes importantes da vila que o frequentaram, destacando-se o poeta popular António Aleixo. Este espaço actualmente reaviva as memórias não só pelas tertúlias que lá se realizam como é da sua tradição, como também pelas refeições disponibilizadas com um menu actualizado por um curador para cada estação que escolhe os pratos consoante a época, pratos estes tradicionais, mas com um toque contemporâneo, elaborados com produtos locais.

Este café, como ponto de encontro, serve de elo de ligação ao projecto Loulé Criativo que ali ao lado disponibiliza, através da valorização dos recursos patrimoniais (materiais e imateriais) produtos criativos e diferenciadores do destino, alicerçados na autenticidade e na identidade dos recursos, que permitem partilhar a cultura e potenciar o saber-fazer, enquanto recursos para a criação de emprego e dinamização económica.

Apoia a formação e actividade de artesãos e profissionais do sector criativo, contribuindo para a revitalização das artes tradicionais (como é o caso da Oficina do Caldeireiro e da Casa da Empreita) e para a dinamização de novas abordagens ao património imaterial.

Para os responsáveis municipais, esta é uma candidatura que, no seu conjunto, enaltece a riqueza e diversidade gastronómica do concelho, mas também o património histórico do qual o Café Calcinha é, indubitavelmente, um dos seus ex-líbris, e ainda os projectos inovadores que visam proporcionar aos visitantes experiências únicas no território de Loulé.

Recorde-se que as 7 Maravilhas à Mesa®, projecto que nasce de uma parceria da AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho e da AHRESP – Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, será constituída por galas transmitidas em directo na RTP, aos domingos, em horário nobre, de 22 de Julho até à grande final, a 16 de Setembro.

Comentários no Facebook