Loulé prepara-se para abrir a primeira escola pública de Música do Sul

Loulé prepara-se para abrir a primeira escola pública de Música do Sul

346
PARTILHE

 

O contrato foi assinado na passada sexta-feira, dia 11 de Maio (Foto D.R.)
O protocolo foi assinado na passada sexta-feira, dia 11 de Maio (Foto D.R.)

É já no próximo ano lectivo, 2018/ 2019, que a cidade de Loulé abre portas àquela que será a primeira escola pública dedicada ao ensino de Música na região Sul do país. O protocolo foi assinado na passada sexta-feira, dia 11 de Maio, entre o Município e o Ministério da Educação, possibilitando, assim, a criação do Conservatório de Música de Loulé.

Este projecto, caracterizado como “educativo, cultural e artístico”, irá funcionar no Solar da Música Nova. Edifício que faz parte da História da cidade e que, actualmente, já se encontra a receber obras de reabilitação, de forma a tornar o espaço moderno e com todas as condições para o ensino da Música.

No local em questão, cedido pela Autarquia, será então alojado um estabelecimento escolar com 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico, 5º ao 9º ano e, do Ensino Secundário, 10º ao 12º ano, no domínio do ensino artístico especializado.

Alexandra Leitão, Secretária de Estado Adjunta e da Educação, referiu que “vão ser realizados protocolos com várias escolas do ensino regular da região, de forma a que o Ministério assegure, neste Conservatório, o ensino articulado e o ensino supletivo de Música com condições excepcionais”. Cabe também ao Governo a responsabilidade da colocação de professores, matrícula dos alunos e outros procedimentos administrativos e jurídicos, “tudo num curto espaço de tempo”, acrescentou a Secretária de Estado.

Para além da obra em curso no edifício, a Autarquia fica ainda responsável pelo apetrechamento do espaço com os materiais, equipamentos e instrumentos essenciais para o funcionamento do Conservatório, bem como a colocação de pessoal não docente.

Para Alexandra Leitão, este protocolo é um “dos momentos muito bons” nestes dois anos e meio em que exerce estas funções governamentais, uma vez que “finalmente haverá uma escola de Música a Sul do Tejo, projecto que se deve à Câmara Municipal de Loulé e ao seu presidente”. Esta responsável explicou ainda que o ensino especializado é uma das áreas em que “a rede pública está aquém do desejado”. Isto porque no que diz respeito a escolas públicas de Música, existem apenas seis em todo o país, sendo duas delas na cidade de Lisboa.

“Uma mais valia para todo o Algarve”

Para o presidente da Câmara Municipal, Vítor Aleixo, este espaço educativo constituirá “a jóia da coroa na política cultural muito rica que o Município de Loulé tem promovido nos últimos anos. Esta é uma mais-valia com que, não só Loulé mas todo o Algarve, poderá passar a contar no futuro, o que nos deixa muito felizes”.

O autarca acrescentou ainda que é intenção da Câmara Municipal de Loulé dar o nome de Francisco Rosado a este Conservatório. “Depois de ultrapassado este primeiro momento de assinatura do protocolo, iremos dar o nome de Francisco Rosado a esta escola porque Loulé tem uma dívida para com o trabalho desse senhor”, assegurou Vítor Aleixo.

Além do principal mentor do Encontro de Música Antiga de Loulé, Francisco Rosado foi um dos grandes impulsionadores do ensino da Música no concelho, tenho leccionado, durante vários anos, no Centro de Expressão Artística de Loulé.

(Maria Simiris / Henrique Dias Freire)

Comentários no Facebook