‘Este ano decidiram proibir um marco da Praia do Barril’

‘Este ano decidiram proibir um marco da Praia do Barril’

1352
PARTILHE
O carrinho do Senhor Guerreiro era já um marco da praia (Foto: D.R.)
O carrinho do Senhor Guerreiro era já um marco da praia (Foto: Alícia Lopes)

A tavirense Alícia Lopes, publicou na sua página de Facebook, na passada quarta-feira, dia 20 de Junho, uma reflexão que começa cada vez mais a dar que falar nas praias algarvias. Será que a exploração de petróleo em Aljezur, que vai contra a vontade da maioria dos algarvios e de todos os autarcas eleitos, é um processo claro a nível jurídico? Alícia deixa a reflexão:

“Na mesma costa onde se aprova a exploração petrolífera, proíbe-se um carrinho onde a única força motora é os braços do Sr. Joaquim Guerreiro.

Este ano decidiram proibir aquele que é um marco da Praia do Barril, junto ao aldeamento #Pedrasdelrey. Este ano, o Sr. Guerreiro se quiser trabalhar tem de fazê-lo sem o seu carrinho. É difícil perceber porque é que um carro sem motor, que não faz qualquer ruído, e que muito facilita a vida de quem trabalha no areal, pode prejudicar a praia ou as pessoas que nela passam as suas férias. Desde que me conheço como gente que me lembro desta figura que já se tornou típica do meu verão e certamente de muitas famílias. Prefiro comer uma bola de berlim que é correctamente acondicionada num carrinho criado com preocupação do que de uma cesta que vai centenas de vezes ao chão.

#deixemoguerreirotrabalhar”

Comentários no Facebook