Gravidade das ameaças ambientais promove a criação nacional do Grupo de Comunicação...

Gravidade das ameaças ambientais promove a criação nacional do Grupo de Comunicação e Educação Ambiental

857
PARTILHE
Esta é uma informação transmitida ao POSTAL em primeira mão (Foto: D.R.)
Esta é uma informação transmitida ao POSTAL em primeira mão (Foto: D.R.)

A gravidade das ameaças ambientais que ocorrem um pouco por todo o planeta, não sendo Portugal excepção, e a crescente importância que as temáticas de prevenção e educação para a preservação do ambiente estão a assumir, são uma realidade inquestionável e urgente. Consequentemente, e a par destas preocupações, a existência de uma maior uniformidade da comunicação por parte de todos os actores nesta matéria, que resulte numa maior eficácia e capacidade de mobilização comportamental na educação ambiental a nível nacional, foram alguns dos principais motivos que levaram a APDA – Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas, a criar o Grupo de Comunicação e Educação Ambiental.

Falamos de questões que estão a ameaçar e a afectar os nossos ecossistemas e inclusivamente a saúde humana. Urge, fazer da água e da sua gestão, a sua protecção e uso eficiente uma preocupação de todos. São por isso urgentes a criação de políticas mais eficientes, bem como a criação de projectos voltados para conscientização da população para a redução e irradicação dos problemas ambientais do nosso país.

Trata-se de um Grupo que tem à sua frente desafios muito ambiciosos e simultaneamente de elevada complexidade, não fossem as questões ambientais, um dos maiores desafios actuais da humanidade. Existem já por todo o país várias iniciativas de cariz sustentável! No entanto, muitas vezes esquecemos-mos de que uma boa e correcta comunicação é a ferramenta fundamental para dar voz e visibilidade à sustentabilidade. De que adianta, a prática de todas estas acções no terreno se a comunicação não funcionar? Uma correcta comunicação é fundamental em variadíssimos aspectos, nomeadamente na divulgação, e posteriormente na comunicação das reais mudanças de hábitos e comportamentos verificadas através da apresentação dos resultados e os objectivos alcançados com os projectos desenvolvidos. Criar gerações com consciência crítica e ambientalmente mais responsáveis numa perspect iva de mudança e desenvolvimento é basilar.

É com satisfação e sentido de elevada responsabilidade que aceitei a nomeação de Coordenadora deste Grupo de Trabalho, o qual é formado por elementos de todo o país, incluindo do arquipélago da Madeira, sendo estes oriundos de diferentes entidades, entre públicas e privadas.

- Pub -

Teresa Fernandes, responsável pela Comunicação e Educação Ambiental da Águas do Algarve

Comentários no Facebook