Faro: conhecida a sentença do homem que baleou outro no rosto

Faro: conhecida a sentença do homem que baleou outro no rosto

406
PARTILHE
O caso está agora nas mãos da Polícia Judiciária (Foto D.R.)
A vítima foi baleada no rosto (Foto D.R.)

O sujeito que baleou um jovem de 25 anos, no mês de Setembro, de 2017, conheceu na tarde desta quarta-feira, dia 4 de Julho a sua sentença. Segundo o que um familiar da vítima contou ao POSTAL, o arguido tem agora de pagar todas as despesas hospitalares e uma indemnização de 20 mil euros à vítima. Para além disso, o Tribunal decretou pena de seis anos de prisão.

O caso remonta ao ano passado, dia 28 de Setembro, quando a Polícia Judiciária de Faro deteve um homem, que durante a madrugada baleou outro na face, alegadamente devido a um ajuste de contas, segundo comunicado.

Ainda segundo a mesma fonte, a PJ adiantou que a vítima, de 25 anos, só não foi atingida na cabeça “por impreciso manuseamento da arma”, tendo o projéctil feito uma trajectória descendente e ficado alojado no maxilar.

Uma fonte policial explicou, na altura, à Lusa que o crime terá tido origem num ajuste de contas, que poderá estar relacionado com o tráfico de droga, mas ressalvou que ainda é prematuro confirmar uma causa directa para a tentativa de homicídio.

Segundo a mesma fonte, o homem foi baleado quando estava sentado dentro de um carro estacionado junto a uma padaria, no banco da frente, ao lado do condutor.

O suspeito, de 24 anos, armado com uma pistola e que apareceu num segundo carro, conduzido por outra pessoa, saiu da viatura, aproximou-se da janela do carro da vítima e disparou, fugindo de seguida.

O homem que foi baleado foi transportado na mesma madrugada do crime para o Hospital de Faro, tendo entretanto sido transferido para um hospital de Lisboa para ser submetido a uma cirurgia maxilo-facial.

Menos de 48 horas depois, a Polícia Judiciária deteve o suspeito, que, tal como a vítima, reside em Faro, por crime de homicídio na forma tentada.

O arguido vai agora ser presente às autoridades judiciais para eventual aplicação de medidas de coacção.

A Penha, zona onde ocorreu o crime, é um bairro residencial próximo da Universidade do Algarve.

Facebook Comments

Comentários no Facebook