Tavira: Noa e Teresa Salgueiro abrem ciclo de concerto no Parque do...

Tavira: Noa e Teresa Salgueiro abrem ciclo de concerto no Parque do Palácio da Galeria

475
PARTILHE
Teresa Salgueiro_Crédito-Susana-Pereira_
Teresa Salgueiro foi descoberta, em 1986, por Rodrigo Leão e Pedro Ayres Magalhães (Foto: Susana Pereira)

Noa e Teresa Salgueiro iniciam, no dia 24 de Julho, pelas 22 horas, o ciclo de concertos no Parque do Palácio da Galeria.

Noa é considerada “o maior tesouro musical de Israel dos últimos anos”. Nasceu, em Tel Aviv, mas cresceu em Nova Iorque. Achinoam Nini canta desde os vinte anos, abraçando todos os tipos de projectos. Já gravou com a Orquestra Sinfónica de Jerusalém e com a cantora israelo-árabe Mira Awad. Canta em hebraico ou iemenita, interpreta canções napolitanas, esteve em digressão com Sting, partilhou palcos com Stevie Wonder, Sheryl Crow, George Benson ou Pino Daniele.

Teresa Salgueiro foi descoberta, em 1986, por Rodrigo Leão e Pedro Ayres Magalhães que procuravam uma voz para o novo projecto acústico. A surpresa que os dois músicos sentiram foi partilhado pelo público. Primeiro, em Portugal, com a revelação dos Madredeus, em 1987, e, posteriormente, com a popularidade do segundo álbum “Existir” (1990) e a partir deste disco pelas audiências de todo o mundo.

Entre 1987 e 2007, vinte anos de viagem e mais de cinco milhões de álbuns vendidos em todo o mundo tornaram os Madredeus nos primeiros embaixadores internacionais da música feita, em Portugal, depois de Amália.

201705-Noa-by-Bernardo-Doral-4-BW
Noa é considerada o maior tesouro musical de Israel dos últimos anos (Foto: Bernardo-Doral)
- Pub -

Convites de nomes tão distintos como José Carreras, Caetano Veloso, Carlos Núnez, Angelo Branduardi ou Zbigniew Preisner reconheceram Teresa como uma das grandes cantoras contemporâneas, independentemente da nacionalidade. E, enquanto a viagem com os Madredeus chegava ao fim, Teresa começava a esboçar os passos seguintes do seu percurso, aventurando-se a solo com gravações com o Septeto brasileiro de João Cristal e com o Lusitânia Ensemble, formado por músicos da Orquestra Sinfónica Portuguesa.

Depois de levar Portugal ao mundo através dos Madredeus, os novos trabalhos trouxeram o mundo para Portugal, tornando a voz de Teresa, mais do que apenas nossa, global.

No disco “O Mistério”, Teresa experimentou, pela primeira vez, na sua carreira escrever e compor ela própria, libertando um outro e fascinante lado da sua criatividade.

Todas essas facetas reúnem-se, agora, numa autêntica celebração de uma carreira única.

Cada bilhete custa 15 euros e pode ser comprado na recepção dos Paços do Concelho, no stand de informação da Câmara Municipal, na Praça da República e na Bol – Bilheteira online.

Facebook Comments

Comentários no Facebook