Turistas portugueses trocam o Algarve pelo Alentejo litoral

Turistas portugueses trocam o Algarve pelo Alentejo litoral

381
PARTILHE
O Alentejo litoral é a escolha de férias de 32% dos inquiridos (Foto: DR)
O Alentejo litoral é a escolha de férias de 32% dos inquiridos (Foto: DR)

Segundo um estudo do Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM), a praia continua a ser o principal critério dos portugueses para as férias, que em média, devem custar 700 euros.

Mafalda Ferreira, coordenadora do inquérito, revelou à Lusa, que em 470 pessoas inquiridas, deparou-se com uma diminuição do valor a gastar nas férias entre o ano passado e este ano. Para além disso, foi ainda notória a migração das pessoas do famoso Algarve para o litoral alentejano.

Mafalda Ferreira referiu também que o número de portugueses a fazer férias nos meses de Verão, “período privilegiado” encontra-se sem alterações, devido à “praia ser o atributo mais valorizado, em 61% das respostas”.

A maior mudança está na escolha da região a passar férias, uma vez que o Algarve, no ano passado foi a escolha de 52% de turistas portugueses, passando este ano para 47%. “O aumento deu-se no Alentejo Litoral, que em 2017 contou com 23% e este ano, no mesmo período, 32%.

- Pub -

“Eu diria que nas pessoas que ficam em Portugal, há uma transferência de valores e na nossa amostra 54,8% das pessoas irão ficar em Portugal, os outros distribuem-se pela Europa (quase 26%), África (5%) e América do Sul (3%)”, acrescentou a docente à Lusa.

Espanha é o país preferido dos portugueses que passam férias na Europa

Na Europa, a escolha preferida dos portugueses, é a nossa vizinha Espanha. Uma tendência que se mantém juntamente com as reservas online, uma vez que “a maioria das pessoas pesquisa e depois reserva na internet”, afirma a coordenadora. Já quanto ao alojamento local “tem vindo a ganhar terreno e actualmente corresponde a 22% e os hotéis a 31%”.

Mafalda Ferreira declarou ainda que, ao juntar outras informações, conclui que: “a situação de crise económica e financeira provocou algumas alterações dos padrões de pesquisa e de compra”. Contudo, “o turista português mantém algum tipo de padrões e é mais focados na questão do preço e em encontrar a melhor relação preço-qualidade”, enalteceu.

Outro dado curioso revelado pela coordenadora, é a utilização “em grande parte” do subsídio de férias nesta altura, sendo que a “reposição dos subsídios tem impacto no padrão de comportamento, já que 49% das pessoas o utiliza parcialmente e 15% utilizam-no totalmente”.

Este foi um estudo realizado entre os dias 12 e 24 de Julho, pelo IPAM, com uma amostra de 470 indivíduos.

O IPAM foi fundado em 1984 e integra a rede Laureate International Universities que, em Portugal, detém ainda a Universidade Europeia e o IADE – Universidade Europeia.

(Maria Simiris / Henrique Dias Freire com Lusa)

Comentários no Facebook