Bibliotecas do Algarve juntam-se em rede – AMAL aprovou a sua criação

Bibliotecas do Algarve juntam-se em rede – AMAL aprovou a sua criação

252
PARTILHE
logo BAlg
BIBAL – Rede de Bibliotecas do Algarve (Foto: D.R.)

Em breve será realidade a formalização da Rede de Bibliotecas do Algarve (BIBAL), o que resultará em benefícios para toda a população.

Reconhecendo a importância da BIBAL, a Comunidade Intermunicipal do Algarve/AMAL deliberou, por unanimidade, em reunião realizada a 6 de julho, a aprovação desta rede, que engloba todas as Bibliotecas Municipais da região, às quais se junta a Biblioteca da Universidade do Algarve.

A cooperação é uma prática corrente entre as bibliotecas mas, com a formalização da rede, será dada visibilidade a essa cooperação e serão desenvolvidos outros projetos que facilitarão o acesso aos serviços e fundos documentais a toda a população.

A unidade histórico-geográfica da região e o passado recente da criação das suas bibliotecas municipais são condições ideais para implementação de uma rede e para desenvolver projetos conjuntos. As práticas de colaboração e desenvolvimento de projetos conjuntos, entre todas as bibliotecas, são resultado da vontade dos seus profissionais e têm como «leitmotiv» a cooperação.

- Pub -

As atividades conjuntas serão definidas tendo como foco um serviço de qualidade aos utilizadores e a sensibilização dos não utilizadores, para as vantagens e potencialidades que qualquer biblioteca proporciona.

Foram identificados como objetivos da rede de bibliotecas públicas do Algarve:

  • Reforçar e afirmar o papel das bibliotecas para benefício da região;
  • Fomentar uma identidade regional que favoreça o desenvolvimento de projetos comuns;
  • Potenciar o acesso aos recursos bibliográficos e informacionais;
  • Promover o trabalho cooperativo para rentabilizar os investimentos individuais de cada biblioteca: gestão de coleções, projetos e atividades;
  • Melhorar a diversidade e qualidade dos serviços oferecidos às comunidades.

Estes objetivos serão concretizados através das seguintes ações:

  • Permitir a pesquisa e acesso em simultâneo aos catálogos de todas as bibliotecas da região;
  • Prosseguir a identificação e organização de projetos e atividades comuns;
  • Desenvolvimento do Empréstimo Interbibliotecas (EIB), para rentabilização dos fundos documentais;
  • Identificar as potencialidades e constrangimentos de cada biblioteca, para melhorar os resultados coletivos;
  • Interligação das bibliotecas com as comunidades: divulgar as boas práticas já em curso e desenvolver outras;
  • Atividades de caráter regional, que reflitam uma capacidade coletiva de que beneficiem os residentes e os visitantes;
  • Promover a qualificação dos recursos humanos das bibliotecas municipais;
  • Promover a cooperação com outras Redes Intermunicipais;
  • Promover a cooperação transfronteiriça e Internacional.

    (Maria Margarida Vargues / Biblioteca da Universidade do Algarve)

Comentários no Facebook