Corpo de égua abandonado na Estrada Algoz / Tunes ja foi removido

Corpo de égua abandonado na Estrada Algoz / Tunes ja foi removido

751
PARTILHE
Foto publicada por Lendote Kc (com D.R.)

O corpo de uma égua encontrado esta manhã na Estrada Algoz / Tunes foi poucas horas depois removido.

Junto ao corpo da égua, encontrava-se um potro que, presume-se, tenha sido igualmente recolhido.

Foto publicada por Luís Inácio (com D.R.)

Recorde-se que continuam a ser vários os casos registados de cavalos vítimas de atropelamento cujos cadáveres são deixados ao abandono.

Alguns casos de abandono e de tempo de recolha de cadáveres de cavalos nas bermas das estradas chegaram a ser chocantes, embora hoje tanto as autarquias como a Direção Nacional de Veterinária procuram dar respostas imediatas.

Cavalo morto foi pasto de cães

- Pub -

Um dos casos que, na altura, mais chocou, foi o tempo de remoção do cadáver de um cavalo atropelado na EN125, entre Ferreiras e Patã de Cima, Albufeira, em 2013. A carcaça do animal acabou por estar vários dias abandonada à berma da estrada e foi pasto de uma matilha de cães que pouco mais deixou do que os cascos e a ossada.

No ano seguinte, depois de uma advogada inglesa ver uma égua morta na berma da EN125, indignada, criou uma petição online a alertar o maltrato dos animais no Algarve e a apelar a um boicoto ao turismo na região.

Olhão foi pioneiro na região do Algarve

Nesse mesmo ano, a Câmara de Olhão criou um regulamento, considerado na altura inovador, sobre apascentamento de animais referente à deambulação e permanência de animais nas vias e espaços públicos, em particular de cavalos.

A implementação desse novo quadro normativo, para além de pretender disciplinar a circulação, permanência e abandono de animais nos espaços públicos, visou igualmente objectivos relacionados com normas de saúde e bem-estar animal.

Segundo avançava a autarquia, “qualquer munícipe pode, a partir de agora, denunciar às autoridades policiais as violações das normas constantes do regulamento”, que pode ser consultado no site câmara olhanense em http://www.cm-olhao.pt/municipio/documentos/category/4-servicos-veterinarios, cujo valor da aplicação de coimas ficou definido poder ir dos 50 euros aos 2.500. [Saber mais no POSTAL: http://www.postal.pt/2014/07/olhao-cria-regulamento-pioneiro-sobre-apascentamento-de-animais/]

Facebook Comments

Comentários no Facebook