Três quartos das crianças não ingerem fruta e legumes suficientes

Três quartos das crianças não ingerem fruta e legumes suficientes

245
PARTILHE

Três em cada quatro crianças portuguesas, entre os dois e os 10 anos, comem menos de cinco porções de fruta e legume diárias, não cumprindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo um estudo divulgado.

Realizado por investigadores da Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI), do Instituto de Saúde Ambiental e da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, o estudo observou diferenças entre os vários distritos e regiões relativamente à ingestão diária de fruta e legumes.

Bragança foi o distrito que apresentou a maior percentagem de crianças (96,7%) que não ingeriam a dose diária recomendada pela OMS, de ingerir pelo menos cinco peças de frutas e legumes, seguido da Guarda (91,9%), dos Açores (86,6%) e da Madeira (85,7%), adiantam os dados preliminares do estudo, que envolveu uma amostra de 12.764 alunos no ano letivo 2017/2018.

Viana do Castelo também registou valores muito elevados (82,1%), assim como Vila Real (81,5%), Santarém e Viseu (ambos com 80,4%), Coimbra (78,6%), Portalegre e Setúbal (78,1%), Porto (77,5%), Braga (74%), Aveiro (73,1%), Lisboa (68,1%), Leiria (66,5%), Faro (66,3%), Castelo Branco (64,3%), Beja com 61,6% e por último Évora (59%), adiantam os dados divulgados pela APCOI em comunicado.

Segundo a Lusa, a investigação também analisou os efeitos da sétima edição do projeto “Heróis da Fruta — Lanche Escolar Saudável”, um programa gratuito de educação para a saúde, que promove o consumo de fruta na escola, nas alterações de hábitos alimentares dos alunos, tendo concluído que, globalmente, 41,9% das crianças aumentou o seu consumo diário de fruta após 12 semanas de participação no projeto.

A recolha de dados, através da aplicação de um questionário antes e depois das 12 semanas de intervenção do projeto, foi reportada pelos professores e conta com uma amostra global composta por 12.764 crianças, com idades entre os 2 e os 10 anos, de 626 escolas de todo o país.

“Em todos os distritos e regiões verificou-se um aumento do consumo diário de porções de fruta após a implementação do projecto, tendo sido o distrito de Portalegre a registar a maior subida com uma percentagem de aumento de 60,5%”, refere a APCOI.

Setúbal registou um aumento de 57,6%, Viana do Castelo de 56,4%), Viseu 46,9%, Porto 46,1%, Guarda 43,1%, Coimbra 41,5%, Faro 41,2%, Vila Real 39%, Lisboa 37,8%, Castelo Branco 37,6%), Aveiro 37,4%, Leiria 37,2%, Madeira 36,2%, Bragança 35,8%, Évora 35,6%, Açores 35,5%, Beja 33,9% e Santarém 29,8%.

Para o presidente e fundador da APCOI, Mário Silva, “estes números vêm comprovar a importância do projeto Heróis da Fruta enquanto ferramenta de educação para a saúde”.

Facebook Comments

Comentários no Facebook