Prémio Regional “Maria Veleda” 2018 não foi atribuído

Prémio Regional “Maria Veleda” 2018 não foi atribuído

176
PARTILHE

O Prémio Regional “Maria Veleda” este ano não foi atribuído.

O júri, constituído por Alexandra Gonçalves, directora Regional de Cultura do Algarve; Gonçalo Pescada, professor de Música; João Guerreiro, professor universitário; José Gameiro, director Científico do Museu de Portimão; Manuel Brito, editor; Margarida Tengarrinha, artista plástica e professora; Maria Augusta Casaca, jornalista; Natividade Monteiro, professora e investigadora, Pedro Ferré, professor universitário, analisou as cinco candidaturas propostas este ano para a distinção e deliberou não atribuir o prémio.

Do conjunto das candidaturas registadas, verificou-se que uma deu entrada fora do prazo. Na apreciação efectuada sobre as demais candidaturas o júri reconheceu que, pelo menos duas das candidaturas, reuniam uma acção destacada na dimensão cultural e cívica, todavia, não davam resposta ao critério estabelecido no número 1 do regulamento e não possuíam um “longo percurso cultural e cívico”.

- Pub -

A Direcção Regional de Cultura do Algarve manifesta assim junto de todos os candidatos “votos para que prossigam com os projectos e acções que cada um tem concretizado e que em muito têm contribuído para o desenvolvimento sócio cultural do Algarve”.

Com a criação deste Prémio, em 2014, a Direcção Regional de Cultura do Algarve, pretende “reconhecer o percurso cultural e cívico de personalidades protagonistas de intervenções particularmente relevantes e inovadoras na Região, e dar um contributo para a Promoção da Igualdade entre Mulheres e Homens nas Políticas Públicas”.

O Algarve presta, desta forma, o seu reconhecimento público a personalidades com um percurso de vida onde se destaca, não só acções associadas à promoção da cidadania e igualdade de género, ou no combate à exclusão social; mas também no combate à desertificação do interior da região; na educação pela arte; na valorização do património imaterial – preservação das tradições, memórias e identidade; na revitalização dos núcleos e edifícios históricos; no desenvolvimento de projectos multidisciplinares, multiculturais e, ainda, projectos em rede na região.

Em 2019 o Prémio Regional Maria Veleda terá nova edição.

Facebook Comments

Comentários no Facebook