Se eu fosse gajo passava-me. A sério, passava-me!

Se eu fosse gajo passava-me. A sério, passava-me!

450
PARTILHE

 

A OPINIÃO de ANA AMORIM DIAS
Escritora
www.anaamorimdias.blogspot.com
anamorimdias@gmail.com

Longe vai a época em que, no jogo da sedução, apenas os machos eram caçadores e só as fêmeas equivaliam a presas. Longe vão os tempos, na sociedade ocidental, em que o pudor e o recato eram atributos assumidos, inquestionáveis.

Está bem, admito. Ser mulher não é fácil; estamos sujeitas a pressões, somos mais vulneráveis à violência física, emocional e sexual, e isto já para não falar nos rótulos que constantemente nos colam ou no julgamento social que, em comparação com os homens, é sobre nós bem mais duro.

Mas ser homem agora, parece-me, não deve ser muito mais fácil do que existir como mulher, sobretudo no que toca à confusa arte em que a sedução se tornou.

Comentários no Facebook