Morreu de frio à espera do cão, depois de ser expulso de...

Morreu de frio à espera do cão, depois de ser expulso de esquadra de polícia inglesa

739
PARTILHE
Dormiu à porta do canil da polícia à espera do cão, “que era tudo para ele” (Foto D.R.)

Um sem-abrigo morreu de hipotermia, depois de ser expulso e forçado a esperar que o seu cachorro fosse libertado de um canil policial.

Pericles Malagardis, conhecido como Peri, foi para a delegacia de polícia de Uxbridge, em Inglaterra, depois de sair do hospital para ir buscar o seu cachorro, Django, que era “tudo para ele”.

O homem de 63 anos foi informado de que não poderia levar Django naquela noite, e que teria que esperar até à manhã seguinte, conforme noticiou na passada sexta-feira o jornal inglês Metro.

O homem foi expulso da esquadra pelo agente Bhupinder Kalsi, que foi entretanto demitido, nas primeiras horas da madrugada, quando as temperaturas caíram para perto de zero graus.

Cinco horas depois, Peri foi encontrado sem sinais de vida, com uma temperatura corporal de 26 graus, e foi declarado morto uma hora depois, no dia 5 de março de 2016.

Peri, um grego que foi viver para Londres em 1989, e trabalhou como motorista de entregas durante 11 anos. Após terminar o relacionamento, e ficar sem emprego, começou a viver num carro, que lhe foi apreendido há cinco anos, desde aí começou a viver nas ruas.

Devido ao seu caráter, Peri tornou-se conhecido no oeste de Londres, e era muito querido por qualquer um que encontrasse.

Tanto é assim que os funcionários da Cockfosters, pagaram o cartão de transporte para que ele pudesse viajar até ao aeroporto de Heathrow, onde passava a maioria das noites no Terminal 5.

Os funcionários da British Airways, juntamente com um autarca de Wembley, começaram até a angariar fundos para que Peri conseguisse um bilhete de avião, para visitar a família que não via há anos.

Facebook Comments

Comentários no Facebook