PROJETO MAGALHÃES: Indústrias culturais e criativas

PROJETO MAGALHÃES: Indústrias culturais e criativas

281
PARTILHE
A região ficará dotada, até final de 2021, de um Centro Magalhães com pólos em vários pontos do Algarve interior (Foto: D.R.)

“A cultura como impulso ao desenvolvimento económico sustentável e à criação e difusão de uma oferta cultural inovadora”.

O Alentejo, o Algarve e a Andaluzia efectuaram uma candidatura conjunta com vista à consolidação de um ecossistema empreendedor que permita impulsionar a criação e a difusão de uma oferta cultural inovadora fundamentada nas raízes históricas, patrimoniais materiais, imateriais e culturais comuns, entre outras, com enfoque nas figuras dos descobridores e na comemoração de Magalhães.

No passado mês de outubro, foi aprovada a candidatura do Projeto MAGALHÃES ICC ao programa Interreg V. O projeto visa o estabelecimento de uma rede de cooperação transfronteiriça para a criação de um Centro de Empreendimento de Industrias Criativas e Culturais – Centro Magalhães.

A presença de um tecido produtivo de baixa densidade nos territórios com necessidade de intervenções destinadas a impulsionar a criação de iniciativas empresariais sustentadas (micro, pequenas e médias empresas) no setor das indústrias culturais e criativas, é o motor deste projeto dirigido à consolidação de um ecossistema empreendedor que permita impulsionar a criação e a difusão de uma oferta cultural inovadora para o Alentejo – Algarve – Andaluzia, fundamentada nas raízes históricas, patrimoniais materiais, imateriais e culturais comuns, entre outras, com enfoque nas figuras dos descobridores, na comemoração de Magalhães.

- Pub -

O Projeto MAGALHÃES_ICC envolve a criação de infraestruturas empresariais, programas de incubação/viveiro de empresas, de capacitação empresarial e setorial para empreendedores com o apoio e formação de gestão empresarial, projetos culturais, financiamento, planos de empresa, ateliers geradores de ideias, de capacitação específica em diversos setores das artes, do património, design, editoriais, da animação turística, dos ofícios, entre outros e um programa de fomento e difusão de projetos conjuntos.

Com um investimento global previsto, no conjunto dos parceiros previsto de 27 milhões e 333 mil euros a executar até 2021, o projeto tem como parceiros a Gerência de Urbanismo do Ajuntamento de Sevilha, Instituto de Cultura e Artes de Sevilha, Andalucía Emprende – Fundación Pública Andaluza, Agencia Andaluza de Instituciones Culturales, Universidade de Évora, Direção Regional de Cultura do Alentejo, Direção Regional de Cultura do Algarve, Comissão de Coordenação de Desenvolvimento do Algarve, Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), Cooperativa para o Desenvolvimento dos Territórios da Baixa Densidade(QRER), Associação Portuguesa de Treino de Vela (APORVELA).

Com este programa a região do Algarve estará dotada, até ao final de 2021, de um CENTRO MAGALHÃES com pólos em vários pontos do Algarve interior: Querença, Alcoutim, Espaço Tor, Loulé Criativo e Casa Poeta João de Deus.

A participação da Direção Regional de Cultura do Algarve no MAGALHÃES ICC, tem enfoque na dinamização desta rede de suporte, através da investigação e criação de conhecimento científico e de disponibilização de conteúdos associados aos Descobrimentos e aos Lugares de Globalização (Sagres, Aljezur, Lagos, Monchique e Silves), promovendo oficinas de trabalho conjuntas com os investigadores e os criadores do espaço transfronteiriço, e com a realização de eventos culturais, para desenvolvimento de propostas inovadoras de produtos e serviços e a concepção de produtos de merchandising regional com base nas artes e ofícios.

Esta base de conhecimento partilhada contribuirá para a elaboração do documento “Nichos de actividade empresarial inovadora” relacionado com o reforço do valor do património cultural comum e para a criação de novos produtos, serviços e merchandising “Lugares de Globalização” e a elaboração de livro-guia “Lugares de Globalização”.

(Artigo publicado no Caderno Cultura.Sul de Novembro)

Facebook Comments

Comentários no Facebook