Carnaval de Loulé inspirado nas selfies do Presidente da República

Carnaval de Loulé inspirado nas selfies do Presidente da República [fotogaleria]

450
PARTILHE

Aquele que é o mais antigo Carnaval do país tem como tema para a edição de 2019 o “Circo de Selfies”. Este é inspirado nas tão popularizadas selfies do Presidente da Republica e tem como principal ingrediente a sátira política.

A Avenida José da Costa Mealha será invadida por palhaços, malabaristas, trapezistas e outras personagens do mundo circense, totalizando perto de seiscentos figurantes, acompanhados de 14 carros alegóricos. Escolas de samba, grupos de animação, cabeçudos e gigantones irão, também, fazer parte deste que é o principal cartaz turístico do Algarve nesta altura do ano.

Durante a apresentação do evento à Imprensa, o autarca Vítor Aleixo informa da grande novidade desta edição: a introdução de copos ecológicos no recinto do Carnaval.

“Este ano os milhares de copos que servem para as pessoas beberem dentro dos bares serão copos de papel prensado e não de plástico como acontecia anteriormente. Trata-se de um material que pode ser reutilizado 3, 4, 5 vezes e, no fim, poderá ser objeto de um processo de compostagem e reaproveitado para a agricultura. É um material biodegradável que pode integrar o ciclo de atividade agrícola”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Loulé.

Entradas custam dois euros

Esta iniciativa vai ao encontro da preocupação ambiental e sustentabilidade que tem estado na base das políticas do Município.

A autarquia convida, ainda, os visitantes a vestirem uma “nova pele”, de forma a se envolverem mais activamente no evento, assim como faz questão de ter uma segurança “muito rígida”, devido à numerosa afluência de público.

O Carnaval decorre nos dias 3, 4 e 5 de Março e o desfile realiza-se entre as 15 horas e as 17:30 horas. As entradas têm um valor de dois euros e todas as receitas da bilheteira revertem a favor de instituições de solidariedade do concelho e do movimento associativo que participa no corso.

Este ano, o investimento total da organização do corso rondou os 350 mil euros o que, segundo Vítor Aleixo, corresponde a uma “ligeira redução” relativamente a 2018.

(ES/CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook