Tadej Pogacar vence Volta ao Algarve

Tadej Pogacar vence Volta ao Algarve

332
PARTILHE
O esloveno Tadej Pogacar arrebatou a vitória final (Foto: Agência Lusa)

O checo Zdenek Stybar (Deceuninck-Quick Step) impôs-se no passado domingo na subida ao alto do Malhão, que encerrou a 45.ª edição da Volta ao Algarve em Bicicleta, com o esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) a arrebatar a vitória final.

Stybar, cujo ataque não tinha como único objetivo a luta pela etapa, mas tentar apoiar mais tarde o colega de equipa espanhol Enric Mas, cumpriu os 173,5 quilómetros em 4:13.18 horas.

Aos 33 anos, Stybar conseguiu a primeira vitória do ano, quebrando um ‘jejum’ de etapas que atravessou 2018 e durava desde os Nacionais checos de 2017.

Em segundo lugar ficou o dinamarquês Soren Kragh Andersen (Sunweb), a três segundos, à frente do holandês Wout Poels (Sky) terceiro, a nove, ambos a tentarem roubar a vitória na geral a Pogacar.

Sucessor de Michal Kwiatkowski na lista de ‘conquistadores’ da já tradicional subida final ao Malhão, o sucesso de Stybar valeu a subida ao sexto lugar da geral, ainda que Mas não tenha conseguido juntar-se, terminando no quarto posto final.

Os vários ataques à liderança do jovem esloveno, de 20 anos, começaram pelo espanhol David de la Cruz (Sky), a que se juntou Stybar e Soren Kragh Andersen, este à procura da vitória final, além do britânico Steve Cummings (Dimension Data).

Seguiram-se, já dentro da subida ao Malhão, o holandês Wout Poels (Sky) e Enric Mas, mas nenhum conseguiu roubar tempo suficiente ao jovem líder.

Apesar de terem ‘isolado’ Pogacar, o líder desde o alto da Fóia, no segundo dia, defendeu-se e chegou em sexto, mantendo Andersen a 14 segundos, Poels a 21 e Mas a 25.

Vitória de Pogacar transformou-se numa história de sucesso precoce

Para Pogacar, a primeira vitória como profissional, na Fóia, transformou-se numa história de sucesso precoce, uma vez que, aos 20 anos, o vencedor da Volta a França do Futuro em 2018 apresenta ‘credenciais’ para ser mais aposta na UAE-Emirates.

Todos os restantes corredores terminaram a mais de um minuto do líder, com dois portugueses no ‘top 10’ – Amaro Antunes subiu a oitavo, a 2.52 minutos do camisola amarela, e João Rodrigues (W52-FC Porto) foi de 17.º para nono.

O algarvio, vencedor no Malhão em 2017, foi um dos ciclistas a tentar atacar, partindo a 12 quilómetros, mas acabou por ser reintegrado no grupo de favoritos, antes de uma tentativa do espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto).

Apesar da tentativa infrutífera do vencedor da Volta a Portugal nos últimos dois anos, Rodrigues acabou por se manter no grupo do camisola amarela e conseguiu reentrar no ‘top 10’.

No arranque do dia, o espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) conquistou as duas primeiras contagens de montanha, de terceira categoria, numa fuga alargada a 13 elementos que também contou com o belga Tim Declerq (Deceuninck-Quick Step), segundo refere a Lusa.

Declerq acabou por perceber que poderia vencer a classificação da montanha se conseguisse vencer a primeira passagem no Malhão e a meta de montanha seguinte, o que acabou por fazer.

Nos pontos, o alemão Pascal Ackermann (BORA-hansgrohe) acabou por conquistar esta classificação perante a desistência do francês Arnaud Démare (Groupama-FDJ), ainda antes da partida.

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook