Algarve lança Observatório para o Turismo Sustentável

Algarve lança Observatório para o Turismo Sustentável [fotogaleria]

246
PARTILHE

A Região de Turismo do Algarve (RTA) acaba de lançar o observatório para o turismo sustentável com o objetivo de estudar, analisar e monitorizar o desempenho turístico do destino nas áreas da sustentabilidade económica, social e ambiental.

Este instrumento operacional conta com o apoio do Turismo de Portugal e será desenvolvido em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve) e a Universidade do Algarve.

O lançamento do observatório foi feito através da formalização de um protocolo entre as entidades parceiras, que decorreu esta quinta-feira, 14 de Março, no âmbito da BTL e contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e dos representantes das entidades parceiras.

Para o presidente da RTA, João Fernandes, o observatório “vai permitir-nos melhorar a gestão sustentável do destino turístico e marcar uma posição pioneira no contexto das regiões turísticas portuguesas e até no panorama internacional. Com a criação deste instrumento assinalamos a nossa proatividade, obtendo importantes ganhos de imagem e notoriedade para a região.”

Sublinhou ainda que ” reuniremos com este instrumento mais condições para uma melhor gestão pública, para uma melhor gestão das próprias empresas no sentido de conseguirmos ser mais eficazes a criar valor no negócio mas também a conseguir transferir esse valor para o território e para o benefício dos nosso residentes para conseguirmos ter mais capacidade de valorizar não só o nosso património natural mas também o nosso património cultural.”

Por sua vez, Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, frisou que “em 2017 quando lançámos a estratégia para os próximos 10 anos colocámos a sustentabilidade dentro da estratégia porque acreditamos que um destino mais competitivo tem de ser um destino mais sustentável.”

“Com a criação do observatório do Turismo Sustentável no Algarve criamos as condições para que o planeamento e gestão da maior região turística nacional assentem num conhecimento profundo dos impactos da atividade no território, incorporando as melhores práticas internacionais nesta matéria. Por outro lado, esta iniciativa contribui para afirmar Portugal como líder internacional em matéria de sustentabilidade. A futura integração deste observatório na rede de Observatórios da OMT colocará Portugal como o único país europeu com dois observatórios na rede (depois do Alentejo), que já integra projetos de Espanha, Grécia e Itália”, acrescentou.

O observatório irá dotar a RTA de conhecimento específico e detalhado sobre a região, o qual servirá de apoio à definição de estratégia e apoiará o desenvolvimento e a competitividade turística, assegurando a preservação e a valorização da identidade, património e valores locais, enquanto ativos estratégicos.

Francisco Serra, presidente da CCDR Algarve, congratula-se por ” este importante passo, que vem em linha com o desafio lançado no final de 2016 no âmbito do conselho de Inovação Regional do Algarve, com vista à criação de um centro de conhecimento e inovação em turismo que estimulasse a produção científica em torno desta actividade, que constitui um pilar fundamental da economia regional, mas que pode e deve alavancar oportunidades noutros sectores, conforme previmos na nossa Estratégia Refional de Especialização Inteligente, nomeadamente com o mar, a saúde e o agroalimentar.”

Paulo Águas, reitor da Universidade do Algarve, referiu que ” a Universidade se junta a este projeto com uma grande alegria mas acima de tudo com grande sentido de responsabilidade” e que “sermos mais sustentáveis passa por sermos mais competitivos.”

Por fim, Ana Mendes Godinho, secretária de estado do Turismo referiu que este “não é um observatório virado para medir o passado nem para medir só o presente. É um observatório virado para o futuro, para o que temos de fazer para acelerar a mudança. Esse é o nosso papel. Temos de ser motores, dínamos, temos de puxar, temos de criar os instrumentos para que as coisas possam acontecer.”

” Terminaria dizendo que se calhar mudava o nome do observatório: Em vez de ser um observatório, assente numa lógica de passado, seria uma lógica de o antecipatório. Este observatório tem de nos ajudar a antecipar o futuro”, explicitou ainda.

Este instrumento, que está em linha com os objectivos de estudo e monitorização da Estratégia para o Turismo 2027 em matéria de sustentabilidade, será também submetido à Organização Mundial de Turismo (OMT) para que se possa integrar a Rede Internacional de Observatórios para o turismo sustentável.

Os estudos a integrar este observatório serão realizados pela Universidade do Algarve, enquanto à CCDR caberá o acompanhamento técnico e suporte institucional.

(Stefanie Palma / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook