Camélias embelezam a vila de Monchique

Camélias embelezam a vila de Monchique

1294
PARTILHE
As camélias de Monchique prometem atrair as atenções dos visitantes (Foto: D.R.)

Monchique prepara-se para receber o Festival das Camélias no fim de semana de 23 e 24 de Março. Discreto e cheio de vida, promete atrair atenções e interesse, este ano no Jardim da Vila de Monchique.

Após cinco anos, existe a certeza e a convicção que Monchique é já uma referência e que reúne em si a distinção de “Jardim do Algarve” e o festival foi e é mais um impulsionador deste atributo.

Este ano o festival apresenta-se numa dinâmica diferente, em tom de festival de rua, reunindo colecionadores, entusiastas e produtores de camélias, reafirmando e elevando aquele ícone da cultura e identidade local. A dança, a pintura, a cerâmica, a doçaria, a música, a poesia à solta, as performances e o teatro vão juntar-se durante dois dias e prometem proporcionar a todos os visitantes um fim-de-semana inesquecível “com toda uma animação circulante constante”. As duas rubricas criadas no ano passado: “Ilustra-te” e “Festival Comvida”, não vão faltar, assim como a Rota das Camélias.

Recital de Rão Kyao, que promete um momentos inesquecíveis

No domingo, 24 de Março, terá lugar um recital de Rão Kyao, que promete conferir um momento único ao festival.

Ao longo de uma carreira que já dobrou a vintena de anos, o músico tem-se distinguido pela sua persistente vontade em redescobrir o Oriente. Fazendo uso da flauta de bambu e do saxofone, ele foi encontrando inspiração na música indiana, árabe, africana e chinesa, restabelecendo assim o elo perdido entre a tradição musical portuguesa e o Oriente.

Os mais de 34 álbuns que editou até hoje indiciam, de uma forma muito clara, a intenção expressa de, a cada passo, redescobrir as raízes da música tradicional portuguesa, não temendo, antes pelo contrário, o confronto com as suas fontes primordiais: a música indiana e a música árabe.

O programa do festival

Atuando em diversas tournées por todos os continentes, é considerado um “embaixador” da música portuguesa.

A Câmara de Monchique lança o desafio a todos os amantes destas flores: “quem ainda não nos visitou, em edições anteriores, parta à descoberta com disponibilidade para a surpresa e para o encantamento. Prometemos o empenho na construção e criação de histórias que irão prevalecer por longos anos, na memória de todos aqueles que decidirem deixar-se apaixonar pela beleza desta maravilhosa flor que facilmente nos transporta para o mundo maravilhoso da cor, da alegria e do romance”.

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook