Contributos da UAlg para a sustentabilidade ambiental

Contributos da UAlg para a sustentabilidade ambiental

671
PARTILHE
- PUB -
Alexandra Teodósio e Saul Neves de Jesus, vice-reitores da Universidade do Algarve (Fotos: D.R.)

As questões da sustentabilidade ambiental têm vindo a assumir uma importância cada vez maior na Universidade do Algarve, estando em convergência com a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável da ONU.

A UAlg está inserida na Rede Ibero-Americana de Universidades Promotoras da Saúde (RIUPS) e, em 2018, foi constituído um Grupo de Trabalho para uma UAlg + Saudável, no âmbito do qual têm sido desenvolvidas várias campanhas, nomeadamente “UAlg + Saudável, com + Fruta”, “UAlg + Saudável, com + Desporto” e “UAlg + Saudável, com Plástico”. Esta última é aquela que está mais diretamente ligada à sustentabilidade ambiental, contribuindo para um futuro oceano livre de plástico e sobretudo para um ambiente mais sustentável para todos nós e para as futuras gerações.

Neste âmbito, temos procurado incentivar a reciclagem e reduzir o uso do plástico nas instalações da Universidade do Algarve, incluindo as cantinas e as residências de estudantes.

Algumas medidas concretas têm sido a redução do uso do plástico descartável, por exemplo: usando água em jarro e copos de vidro, em vez de água em garrafas de plástico e/ou copos de plástico; recusando o uso de palhinhas de plástico para as bebidas e varetas de plástico para o café; e preferindo sempre produtos alimentares nos bares e cantinas sem embalagem individual ou prato plástico descartável.

Candidatura da UAlg “Reciclar Plásticos é uma Arte” venceu Novo Verde Packaging Universities Award

Algumas destas práticas foram apresentadas no seminário sobre “Economia Circular e a Problemática dos Plásticos”, organizado pela Novo Verde, na FE da UAlg, no dia 4 de dezembro, bem como no Seminário sobre “A Economia Circular no Algarve”, organizado pela CCDR, no dia 6 de dezembro.

Também merece particular destaque o facto de a candidatura da UAlg, intitulada “Reciclar Plásticos é uma Arte”, ter sido uma das vencedoras do “Novo Verde Packaging Universities Award”. Mais recentemente, a UAlg concorreu ao programa Eco-Escola, tendo para o efeito formado o Conselho Eco-Campus que integra docentes, funcionários não docentes e estudantes. Numa estreita colaboração com o Município de Faro, o plano de ação contempla os temas obrigatórios da água, dos resíduos e da energia, bem como o tema opcional do mar.

A UAlg assume o seu papel e a sua responsabilidade de contribuir para o desenvolvimento sustentável, através da promoção e produção de conhecimento (ensino e investigação), bem como da transferência de conhecimento e o seu comprometimento com a sociedade. Este compromisso com a sociedade está presente na sua missão, visão e valores, pelo que a UAlg deverá assumir cada vez mais a sua responsabilidade social, com o consequente contributo para o desenvolvimento sustentável.

Sendo a internacionalização uma das mais fortes “bandeiras” da UAlg, contribuindo para as boas classificações obtidas nos rankings que comparam universidades de todo o mundo, quisemos assumir um papel de liderança no âmbito do concurso das Universidades Europeias ao programa ERASMUS +, tendo sido o tema da sustentabilidade aquele que escolhemos como integrador do trabalho a desenvolver pelas várias universidades que compõem a nossa rede de universidades parceiras neste projeto europeu.

A Aliança de Horizontes de Sustentabilidade (“Sustainability Horizonts”; EU BLUE-GREEN CAMPUS), foi criada com o objetivo de preparar melhor as universidades para uma contribuição mais forte para uma sociedade globalmente mais saudável. Esta Aliança foi integrada no Concurso das Universidades Europeias ao Programa ERASMUS +, sendo sete universidades europeias com valências complementares na área da sustentabilidade, coordenadas pela Universidade do Algarve.

UAlg assume a sustentabilidade ambiental como uma clara prioridade

São universidades jovens nos respetivos países (Portugal, Espanha, Itália, Roménia, Alemanha, Finlândia e Noruega), que contribuem para a inovação nos territórios onde se inserem, provenientes de pequenas cidades na periferia da UE (Faro UAlg PT, Huelva UHU ES, Tuscia UNITUS IT, Timisoara BUAS RO, Ludwigshafen hwg-lu GE, Lahti FI, Tromso UiT NO).

Por natureza, são instituições abertas ao empreendedorismo, que será usado para potenciar soluções sustentáveis, através da cooperação, co-criação e co-inovação para as atuais questões socioeconómicas e ambientais, associadas às alterações globais. Isso agrega um valor de inovação disruptiva, que possibilita que essas Instituições de Ensino Superior (IES) e seus parceiros alcancem impacto muito além do atual. A proximidade geográfica, assim como os elos históricos, culturais e linguísticos da UAlg com várias IES da aliança, consolidam o potencial de projeção global.

Pretende-se alcançar uma referência na Sustentabilidade através da educação massiva, baseada em métodos inovadores de aprendizagem e ensino. É esperado que os desafios societais da investigação inclusiva ambiental, social e económica permitam a convergência das IES no conjunto das áreas académicas. A Aliança visa uma mobilidade de 50% entre os parceiros, em 2025, bem como a atração de estudantes de fora da Europa (África, Ásia, América do Sul), promovendo a aprendizagem à distância e desenvolvendo a capacitação in situ.

A ambição inclui também desenvolver a educação em sustentabilidade e adaptação às alterações globais, através de graus conjuntos, em específico um grau europeu, completamente reconhecido entre as universidades do consórcio, para que se reduzam barreiras, ao nível dos reconhecimentos em cada país.

Desta forma, a UAlg assume a sustentabilidade ambiental como uma clara prioridade do seu desenvolvimento e atuação, procurando contribuir, não apenas no seu espaço, mas de forma mais global.

No Plano Estratégico da Universidade do Algarve para o período 2018-2021, “Contribuir para o desenvolvimento sustentável” aparece como uma linha de ação do objetivo estratégico “Aumentar o impacto da Universidade na Sociedade”.

Conforme tem sido defendido recentemente por milhões de jovens em todo o mundo, inspirados em Greta Thunberg, não há um plano B para salvar o planeta, senão através de estratégias de sustentabilidade ambiental.

Aproveitando uma frase conhecida de Ganhdi, “não há um caminho para a paz, a paz é o caminho”, terminaríamos afirmando que não há um caminho para a sustentabilidade, a sustentabilidade é o caminho!

(AC/HF)

Facebook Comments

Comentários no Facebook