Itelmatis investe em soluções inteligentes de impacto ambiental reduzido

Itelmatis investe em soluções inteligentes de impacto ambiental reduzido

644
PARTILHE
Jorge Luz, director-geral da Itelmatis Control System (Foto: Ana Pinto / Postal)

A Itelmatis desenvolve tecnologia há 17 anos e toda essa tecnologia tem um impacto ambiental significativo. Nós trabalhamos na área da agricultura, piscicultura, hotelaria, golfe e águas residuais. Temos desenvolvido em todas estas áreas tecnologias de impacto ambiental significativo.

No golfe desenvolvemos em conjunto com a Universidade do Algarve o único sistema que existe a nível mundial capaz de gerir a água em tempo real, ou seja, reagir à chuva em tempo real. Se a meio da rega começar a chover, o sistema é capaz de reduzir a água que entrega à relva em função da água que está a cair naquele momento de forma gratuita.

Aqui na Infralobo fizemos, há pouco tempo, o arranque de um sistema que é inovador e que levou a Infralobo a dar mais um passo no sentido de se tornar num Smart Resort.

Num primeiro passo que tinham dado, a nossa tecnologia também estava presente na gestão do edifício que eles têm. Neste segundo passo anunciaram um sistema inteligente de rega que foi concebido por nós. Desenvolvemos, portanto, o hardware, firmware, software intermédio e a parte web que permite fazer uma gestão integrada, em tempo real, da rega de todo o empreendimento. Deste modo, fazemos a rega dos espaços verdes, e conseguimos ver lote a lote a rega de cada moradia com integração de uma estação meteorológica ou várias com dados em tempo real.

Assim, podemos reduzir a intensidade da rega em função da chuva que esteja a cair no momento. Tudo isto é integrado com entidades que disponibilizam dados de previsão meteorológica.

Se nós soubermos que vai chover amanhã, podemos abdicar de regar hoje. Isto tem certamente impacto ao nível dos consumos de água e da qualidade dos jardins e da relva. Nós já tínhamos um projeto parecido com este a funcionar no EcoResort do grupo Pestana, em Tróia, onde tínhamos a rega de 300 jardins juntamente com os jardins comuns, tudo coordenado com uma única estação meteorológica a fazer redução de consumos de água em tempo real em função da chuva, a fazer a contagem da água bruta e água potável, gás. Aqui foi mais um passo. Deixámos de ter uma rede a funcionar via fibra ótica como temos no Pestana e passámos a ter uma rede a funcionar via rádio, o que facilita muito a intervenção em cidades, porque as infraestruturas implicam sempre partir calçadas, abrir estradas, e isso é sempre algo que ninguém deseja.

Existe ainda um projeto desenvolvido em parceria com uma empresa de Faro, Friavac, ao qual demos o nome de Ecogerador e que já existe em vários hotéis no Algarve. Existe um grupo hoteleiro que não constrói nenhum hotel sem instalar um equipamento destes e que no fundo reduz para um sexto o consumo de energia necessária para climatizar, fornecer a água quente num hotel na altura mais crítica que é o verão.

(CM)

 

Facebook Comments

Comentários no Facebook