Zoo de Lagos aumenta a família

Zoo de Lagos aumenta a família

488
PARTILHE
O Tapir é uma espécie que está em grande perigo de extinção (Foto: D.R.)

O Zoo de Lagos aumentou a sua família com a chegada de duas fêmeas de Tapir, um casal de macacos Saki, um casal de nandus de Darwin e duas fêmeas de lebre da Patagónia.

As duas fêmeas Tapir já estão acomodadas na nova instalação. Esta espécie está em grande perigo de extinção. É um mamífero herbívoro grande, originário das florestas da América do Sul, América Central e Sudoeste Asiático. Pode chegar a ter dois metros de cumprimento e um de altura, e pesa entre 150 a 300 quilos. A tromba é a característica que mais se distingue. É com esta parte do corpo que agarram as folhas.

As novas habitantes do Zoo de Lagos foram enviadas de um zoo em França, o Touroparc.

Os macacos Saki são originários do norte e centro da América do Sul (Colômbia, Peru, Bolívia, Brasil), medem entre 30 a 40 centímetros, pesam até 2,5 kg. É uma espécie que também está em perigo.

Com a sua chegada ao nosso parque “temos esperança de que em breve possam reproduzir-se”, revela o zoo.

Mas o Zoo de Lagos recebeu também um casal de Nandus, espécie conhecida como nandu-de-darwin (Rhea pennata ou Pterocnemia pennata), um é da família das Emas. São animais que vivem nas zonas altas e semiáridas do sul do Peru e nas florestas da América do Sul. Actualmente correm risco de extinção.

Chegam a ter um metro de altura e podem pesar perto de 30 quilos. São aves corredoras, têm uma cabeça pequena e bico também pequeno. Já as pernas e o pescoço são longos. As asas são grandes. Podem correr a uma velocidade de 60 quilómetros por hora.

Já as lebres da Patagónia chegam a pesar oito quilos. É uma espécie de grande porte, um roedor da família das capivaras.

(CM)

Facebook Comments
Advertisements

Comentários no Facebook