Guida Bruno expõe em Tavira meio milhar de marcadores de livro de...

Guida Bruno expõe em Tavira meio milhar de marcadores de livro de todo o mundo [fotogaleria]

624
PARTILHE

A Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, em Tavira, acolhe até ao final de Abril a exposição de marcadores de livro “A tradição sociocultural no mundo”, da autoria de Guida Bruno.

A inauguração teve lugar esta terça-feira, 2 de Abril, e contou com a presença da directora regional de Cultura do Algarve, da vereadora de Educação e Juventude da Câmara de Tavira, do presidente da União de Freguesias de Tavira (Santa Maria e Santiago), da directora da Biblioteca Municipal de Tavira e do presidente da Associação Internacional de Paremiologia (AIP-IAP), entre outras personalidades.

Pela primeira vez no sul do país, a mostra conta com 15 vitrines nas quais podem ser observados diversos marcadores e alguns, de maior valor, representativos de uma época específica.

Em oito vitrines podem ser observados alguns marcadores dos mais curiosos e de maior valor como instrumento “revelador de época”. É o caso dos que podem ser vistos logo na vitrine da entrada da exposição, como que a querer dar-vos as boas vindas: algumas fitas de seda, marcadores de cartão de publicidade antiga das mais diversa como a chegada luz elétrica, do gás, a cola Sino, a pasta Binaca, Bolachas Aliança ou até a farinha Maizena.

Nas outras sete vitrines estão núcleos de marcadores de livro infantil, de materiais diversos (plástico, metal, pano, cortiça, feltro..), “marcadores do mundo”, informação médica, autores, religiosos, gastronomia e artes do espetáculo.

A coleccionadora e curadora da exposição – Guida Bruno – ex-bibliotecária do Museu Nacional do Teatro e da Dança, em Lisboa, trouxe até Tavira cerca de meio milhar de marcadores de todo o mundo.

Guida Bruno começou a colecção em 1991

“Comecei esta coleção em 1991, quando nas minhas funções de bibliotecária no Museu Nacional do Teatro iniciei a catalogação dos livros doados, das bibliotecas particulares de Amélia Rey Colaço Robles Monteiro, Ribeirinho, Vasco Santana, entre tantos outros. Dentro deles, fui encontrando alguns destes exemplares. Depois, a notícia da coleção foi-se espalhando através de amigos, de notícias dadas pela Agência Lusa, Correio da Manhã, Revista Tempo Livre, Revista Colecionadores dos CTT entre outras e foram surgindo convites para exposições em várias Bibliotecas do Norte a Sul do País”, explica Guida Bruno.

A autora salienta “a importância desta colecção como forma de contar várias histórias que ela própria desenvolve como contadora de histórias e promotora de leitura”.

A AIP-IAP e o Clube UNESCO de Paremiologia-Tavira congratulam-se “pela presença de tão importante colecção – pela primeira vez no Algarve – e que logo seguirá para a Biblioteca Municipal de Castro Marim”.

Segundo Rui Soares, presidente da AIP-IAP e do Clube UNESCO, “outros locais já mostraram o seu interesse em expor esta colecção que, para além da sua função principal – marcar a página onde a leitura foi interrompida – também incentiva a guarda de memórias”.

(ES/CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook