Milhares de católicos celebram a Festa da Mãe Soberana em Loulé

Milhares de católicos celebram a Festa da Mãe Soberana em Loulé

1207
PARTILHE

 

A celebração é considerada como “a maior manifestação religiosa a Sul de Fátima” (Fotos: D.R.)

Loulé celebra no próximo domingo, 5 de maio, mais uma Festa da Mãe Soberana, em honra da sua Padroeira – Nossa Senhora da Piedade, que, por feliz coincidência, é também o Dia da Mãe.

Nesta celebração conhecida como “a maior manifestação religiosa a sul de Fátima” são esperados milhares de visitantes à cidade, não só fiéis mas também muitos turistas que vêm até Loulé para testemunhar este quadro ímpar.

Depois da Festa Pequena, no Domingo de Páscoa, em que a imagem da Padroeira desceu à cidade, permanecendo desde então na Igreja de S. Francisco, prepara-se agora o momento alto das festividades, com a Festa Grande.

Do programa de celebrações destaca-se já esta quarta-feira, 1 de maio, pelas 21 horas, o Tríduo Solene, subordinado ao tema “Maria, Mãe Missionária”, que terá como pregador o Bispo Emérito do Funchal, D. António Carrilho. Este momento contará com a interpretação de Cânticos Marianos pela carismática voz de Teresa Salgueiro, ex-vocalista dos Madredeus.

Já no sábado, pelas 21 horas, o Clube Hípico de Loulé fará um desfile e, no Largo de S. Francisco, prestará homenagem à Nossa Senhora.

No domingo são esperadas muitas emoções junto daqueles que vivem de forma muito especial esta festa. Seguindo a tradição, pelas 11h00, decorre o primeiro momento religioso, com a celebração de uma eucaristia na Igreja de S. Francisco, transmitida em direto pela TVI.

Às 12:30, a imagem de Nossa Senhora da Piedade sai em procissão para o Largo do Monumento Engº Duarte Pacheco, acompanhada pela Sociedade Musical de Instrução e Recreio Aljustralense SMIRA. É junto ao Monumento que, às 13 horas, se realiza mais um momento litúrgico, com a Celebração Mariana seguida de um tempo de louvor e saudação à Nossa Senhora da Piedade.

À missa campal presidida pelo Bispo Emérito do Funchal, D. António Carrilho, pelas 16 horas, junto ao Monumento Engº Duarte Pacheco, segue-se a consagração a Nossa Senhora da Piedade e o início da grande procissão que percorrerá as principais ruas da cidade, acompanhada pela Banda Filarmónica Artistas de Minerva.

Oito homens carregam o andor, vestidos de calças e opas brancas, acompanhados por dois tochas

Às 18 horas, tem lugar o encerramento da procissão litúrgica no Largo de S. Francisco, iniciando-se então a subida para o Santuário. Oito homens carregam o andor, vestidos de calças e opas brancas, acompanhados por dois tochas, sobem o íngreme cerro, ao ritmo acelerado da música da Banda Filarmónica Artistas de Minerva, acompanhados pela população a exibir-se em manifestações diversas mas verdadeiramente sentidas.

“A escalada do caminho que dá acesso ao altar da Nossa Senhora da Piedade é um documento espantoso da fé cristã nesta terra. Ao esforço gigantesco dos homens que transportam a Virgem, alia-se a força espiritual dos muitos fiéis que, em vivas à Nossa Senhora, em passo vivo e na cadência musicada dos homens da banda, vão ‘empurrando’, no calor da fé e calçada acima, o pesado andor da padroeira”, refere a autarquia de Loulé em comunicado de imprensa.

As festividades terminam com um espetáculo de fogo-de-artifício, junto à Ermida da Nossa Senhora da Piedade, pelas 23 horas, que irá iluminar o céu de Loulé em jeito de despedida à Padroeira.

Esta tradição remonta ao século XVI e é hoje um dos eventos-âncora do Algarve no eixo do turismo religioso mas, acima de tudo, uma tradição que faz parte da identidade louletana.

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook