Sonae tenta condicionar greve dos trabalhadores com recurso a prémio

Sonae tenta condicionar greve dos trabalhadores com recurso a prémio

979
PARTILHE
 O grupo Sonae decidiu sortear um voucher da Odisseias Experiências no dia 1 de maio (Foto: Arquivo POSTAL D.R.)

O CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) denunciou que a Sonae (grupo detentor da cadeia de distribuição e hipermercados Continente) decidiu sortear um voucher da Odisseias Experiências entre os trabalhadores no dia 1 de maio.

O sorteio é feito na condição de os trabalhadores estarem presentes no seu local de trabalho no dia da referida greve.
O pré-aviso de greve abrange a Auchan, o Mini-preço, Pingo Doce e Continente.

Segundo noticia o Jornal Económico, o CESP afirma em comunicado que a Sonae “não olha a meios para tentar limitar e condicionar os trabalhadores a exercerem o seu direito à greve no 1º de Maio” realçando que “este comportamento da Sonae, como de outras empresas de distribuição que tentam ‘comprar’ os trabalhadores com este tipo de “benesses”. E lança ainda críticas dizendo que “de todos os dias do ano (que são 365) a Sonae escolheu o 1º dia de Maio- Dia do Trabalhador e dia de greve dos trabalhadores da Sonae, para sortear um voucher para atividades de lazer. E qual é a condição? Estar presente no seu horário no local de trabalho. Coincidência? De certeza que não”.

O Sindicato considera ainda que sortear um voucher no dia do trabalhador é ‘uma vergonha’, acrescentando que “não lhes chegam os milhões e milhões de lucros que conseguem à custa dos salários de miséria que pagam aos trabalhadores, não lhes chegam a pressão e ritmos de trabalho brutais, os horários desregulados que fazem da vida dos trabalhadores um verdadeiro inferno e os impedem de qualquer possibilidade de conciliar o trabalho com a vida pessoal e familiar”.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal(CESP) emitiu um pré-aviso de greve onde exige às empresas e à Associação Portuguesas das Empresas de Distribuição (APED) que seja revisto o Contrato Coletivo de Trabalho. As negociações já se arrastam há dois anos e sete meses.

Nesta revisão do CCT é pedido o aumento dos salários e o encerramento das superfícies não só no 1.º de Maio, como ao domingo e feriados, e é exigida ainda a progressão automática do operador de armazém e o fim da tabela B.

SAIBA MAIS: Funcionários do Pingo Doce, Continente e Jumbo anunciam greve para 1 de maio

(Stefanie Palma / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook