Viv´o Mercado regressa a Lagos

Viv´o Mercado regressa a Lagos

488
PARTILHE
No Viv´o Mercado irá encontrar produtos vegetais ou de origem animal, preferencialmente de origem biológica e artesanato cuja matéria-prima seja proveniente das terras (Foto: D.R.)

Depois de uma pausa, cujo intuito foi avaliar a primeira edição e ajustar o projeto, o Viv´o Mercado está de regresso a Lagos. A iniciativa irá, a partir do próximo dia 17 de de abril, tornar-se permanente ao longo de todo o ano, tendo lugar nos finais de tarde de quarta-feira no Mercado de Levante.

Este mercado, complementar ao que se realiza aos sábados de manhã, irá prolongar-se durante todo o ano, possibilitando aos residentes e visitantes consumir produtos locais, predominantemente de origem biológica. O projeto “mantém os objetivos de promover modos de vida saudáveis e sensibilizar para a importância de práticas ambientais e sociais sustentáveis e inclusivas”, segundo nota de imprensa enviada ao POSTAL.

Para além do enfoque na promoção da agricultura biológica, o Viv’ o Mercado distingue-se, igualmente, por dispor de uma zona de convívio, com animação, espaço criança e um conjunto de tasquinhas. Na zona de refeições disponível no mercado, o lema é “da banca ao prato”, isto é, os produtos comercializados são, maioritariamente, adquiridos junto dos vendedores do Viv´o Mercado.

Este espaço permite às entidades locais mostrar o trabalho que desenvolvem

Outro dos aspetos relevantes do regresso deste projeto, é o de permitir às entidades locais a utilização de mais um espaço para mostrar o trabalho que desenvolvem. Trata-se de uma iniciativa que procura envolver os participantes na dinamização do mercado, através de reuniões plenárias onde são convidados a dar contributos para a consolidação e melhoria do projeto.

O Viv´o Mercado é gerido por uma Comissão Organizadora composta por 5 entidades parceiras da Rede Social de Lagos (Câmara Municipal de Lagos, NECI – Núcleo Especializado para o Cidadão Incluso, Projeto Novas Descobertas, Associação Infância Viva – Jardim Waldorf Internacional, e CASLAS- Centro de Assistência Social Lucinda Anino dos Santos) e três produtoras biológicas certificadas (Fátima Torres – Quinta das Seis Marias, Délia Kegel – Vinha Velha Agropecuária e Maria de Lurdes Borralho).

(AC/CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook